Bruno de Carvalho teve um discurso muito forte este sábado na Assembleia Geral do Sporting. Um discurso virado para dentro, onde insurgiu-se contra quem está a fazer-lhe oposição no clube.

Mensagem para dentro: "O que não é minimamente admissível é verificar que alguns sportinguistas querem fomentar a desunião. Não é admissível termos pessoas que gostam, especialmente antes de grandes jogos, de dar entrevistas, de dizer que o Sporting está a ser gerido de forma incompetente, que mentem descaradamente em comunicados bacocos e em entrevistas estéreis"

Críticas a Rui Barreiro: "Continuamos num clube onde há cobardia. Não é apenas de Ruis Barreiros que vivemos, vivemos também de cobardes que se escondem atrás de cartazes e perfis de Facebooks, onde se está a disputar uma das mais vis campanhas contra o Sporting, com pessoas a atacar em uníssono e de forma cobarde esta direção e o seu presidente".

Manipulação de sócios: "Ficaram chocados quando o presidente colocou sócios do Sporting em tribunal. É com alguma facilidade com se manipula alguns sportinguistas. Resumiu-se a três, se isto são sócios do Sporting, temos de começar a pensar no perfil de quem pode ser sócio".

Vencedor ou retrato: "É o momento de escolher se queremos lutar por um Sporting campeão ou se queremos ser um clube de bem, politicamente correto, que não levanta ondas, submisso, de gente boa. Não se ponham lado. Ou querem um Sporting vencedor ou o retrato de um presidente, porque para aqueles presidentes bastava uma foto. Este é o presidente que vocês querem. Para sermos campeões temos de ser todos a lutar por isso".

Presidente refinado: "Nós continuamos de mangas arregaçadas a lutar pelo Sporting. Aqueles que dizem que o presidente devia reconhecer que era penálti, ... uma pinoia. Não foi penálti! [frente ao Tondela]. Para esses, é andar 14 anos sem vencer... ser diferente é sermos gozados pelos rivais. Se querem um clube apenas para vir votar, jogar às cartas e um presidente refinado e elaborado..."

Trabalho feito: Tivemos capacidade para manter os melhores jogadores mesmo quando todos achavam que devíamos vender. Tivemos calma e frieza para não o fazer. Neste momento, estamos em primeiro, estamos melhor a nível desportivo e fizemos um negócio que nos permite pagar toda a dívida e ficar com 200 milhões para os próximos dez anos. Dos grandes, somos o que tem menor dívida, maior esperança e fez o melhor negócio. Mas nunca terão no Sporting dirigentes arrogantes que acham que já fizeram tudo. Nunca nos daremos por satisfeitos".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.