Bruno Costa Carvalho, principal promotor da Lista C às eleições do Benfica, concorrendo ao cargo de vice-presidente, escolheu como prioridade para o seu projeto transformar as ‘águias' num "superclube europeu", para que a instituição "ganhe mais relevância" internacional.

O empresário, que lidera o movimento ‘Todos P’lo Benfica', candidata-se pela segunda vez à liderança do emblema lisboeta, depois de em 2009 ter amealhado 2,7% dos votos, frente ao atual presidente e recandidato Luís Filipe Vieira, e considera que os tempos atuais exigem uma afirmação total do clube, em termos competitivos, além-fronteiras.

"Havendo a probabilidade de, a curto prazo, haver uma mudança dos formatos competitivos internacionais, com a criação de uma superliga ou de uma nova Liga dos Campeões, que terá 18 a 20 clubes, o Benfica tem de transformar-se num superclube europeu para estar nesse patamar superior", afirmou Bruno Costa Carvalho.

Em entrevista à agência Lusa, o candidato da lista C, encabeçada por Luís Miguel David, considerou que "se o Benfica não mudar de vida rapidamente vai ficar de fora dessa elite europeia", apontando como premissa essencial a equipa "estar, sistematicamente, entre as 16 melhores da Liga dos Campeões, passando sempre a fase de grupos", lamentado "que tal não tenha acontecido nos últimos anos.

"Se não nos conseguimos tornar relevantes na Europa, vamos ficar num segundo patamar. Todo o nosso projeto está orientado em reduzir a diferença entre o Benfica e todos os grandes europeus, porque atualmente todos querem jogar entre si, e beneficiar das grandes receitas televisivas", explicou.

Para esse objetivo, Bruno Costa Carvalho, diz ser necessário o plantel ter "três jogadores que sejam reconhecidos internacionalmente, e que além da mais-valia futebolística, possam, em termos de marketing, alavancar a marca Benfica em mercados emergentes".

O candidato reconheceu que a tentativa da contratação do avançado uruguaio Cavani "até foi uma boa ideia", mas revelou outras estratégias para reforçar a qualidade do plantel.

"O ‘scouting’ do Benfica até tem encontrado jogadores que vão ser bons ainda a um preço barato. Mas só isso não chega. Temos de apostar em bons valores da Liga portuguesa e, obviamente, na formação, e evitar gastar milhões em atletas que se contrata e já se sabe que não vão jogar na equipa principal, como tem acontecido", partilhou.

Para montar essa estratégia, Costa Carvalho disse ter convidado o antigo treinador do clube Sven-Goran Eriksson para diretor do departamento de futebol, lamentando "a maldade feita por Luís Filipe Vieira em colocá-lo na sua comissão de honra".

Já Jorge Jesus é reconhecido pelo candidato "como um ótimo treinador, que faz a equipa jogar um futebol que encaixa no projeto", havendo a intenção de mantê-lo caso ganhe as eleições.

Apesar de o futebol ser a grande mola do sucesso do Benfica, Costa Carvalho não esquece as modalidades, mesmo reconhecendo que "no difícil contexto económico atual é preciso ter muita prudência".

"As modalidades não são autossuficientes, precisam de ajuda. Queremos ser mais competitivos, mas esta não é fase de fazer promessas. Temos de recorrer muito à nossa formação, às escolas, a jogadores portugueses de outros clubes e apostar em estrangeiros apenas quando podem fazer a diferença. Não é tempo para entrar em loucuras", disse o líder do movimento ‘Todos P’lo Benfica'.

Bruno Costa Carvalho gostaria de ver o ciclismo de regresso ao clube, mas através de uma parceira com um patrocinador que limitasse o risco financeiro.

Também no âmbito dos patrocínios, Costa Carvalho disse ter já ter falado "com uma grande marca de tecnologia que se mostrou interessada em se associar ao nome do estádio".

O candidato também mostrou abertura "para a entrada de parceiros estratégicos que invistam no capital da SAD", mas vincou que "Benfica tem sempre de manter a posição maioritária" na sociedade.

Outro projeto que Bruno Costa Carvalho defende, com especial carinho, é a criação do "Departamento de Mística, que ensine o que ser benfiquista a atletas, funcionários e até às crianças das escolas".

Além de Luís Miguel David (lista C), que encabeça a lista promovida por Bruno Costa Carvalho, concorrem, pela primeira vez na história do clube, quatro candidatos, o atual presidente Luís Filipe Vieira (A), João Noronha Lopes (B) e Rui Gomes da Silva (D).

As eleições no Benfica estão marcadas para quarta-feira, entre as 08:00 às 22:00 horas, no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, em Lisboa, e em 24 casas do clube.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.