Com o desaire caseiro por 4-1 sofrido terça-feira perante o rival Benfica, os “leões” perderam a oportunidade de salvar a época interna, com a presença na final da Taça da Liga, apenas uma semana depois de terem sido “corridos” da Taça de Portugal pelo FC Porto, após um humilhante 5-2 no Dragão.

Quanto ao campeonato, o Sporting segue a 19 pontos do Benfica (mais um jogo), 18 do Sporting de Braga e 12 do FC Porto, tetracampeão nacional, não podendo aspirar a mais do que um “mísero” quarto lugar, depois de 10 anos consecutivos no pódio.

Por entre desilusões em série, os “leões” perderam mesmo o treinador Paulo Bento, que, nas palavras do presidente José Eduardo Bettencourt, era para “forever” (sempre), mas saiu em Novembro, após 18 jogos, isto depois de levar o Sporting a quatro segundos lugares consecutivos e à conquista de duas taças de Portugal e outras tantas supertaças.

O escolhido foi André Villas-Boas, mas falhou o acordo com a Académica e a “segunda” escolha recaiu em Carlos Carvalhal, que começou a vencer (4-1 ao Pescadores, no Restelo), mas só ganhou, depois, um dos cinco jogos seguintes.

O Sporting acabou, ainda assim, 2009 a ganhar (1-0 no reduto da Naval 1.º de Maio) e 2010 abriu com mais seis triunfos, isto já com uma inversão na imagem de marca, que passava por não poupar dinheiro: João Pereira chegou por três milhões de euros e Sinama-Pongolle por 6,5.

Só que, após sete vitórias, todas, refira-se, pela diferença mínima, voltaram os maus resultados e, em 13 dias, o conjunto “leonino” ficou afastado de todas as competições internas, taça, taça da Liga e campeonato, cujo terceiro posto começa já a ser só uma possibilidade matemática.

A "série negra" começou com um desaire em Braga (1-0) para a Liga, prosseguiu com o “adeus” à taça de Portugal no Dragão (5-2), nova derrota para o campeonato, agora em casa com a Académica (2-1), e outra derrota em casa, por 4-1 com o Benfica, que colocou um ponto final no sonho de manter o pleno de finais da Taça da Liga.

Feitas as contas, e no mesmo número de jogos, o Sporting ganhou mais vezes desde que Paulo Bento partiu (nove contra sete), mas perdeu bem mais (seis contra duas) e apresenta também uma diferença de golos pior (27-25 contra 26-14).

O “pesadelo” já vem, aliás, da pré-época, altura em que, após o triunfo a abrir com o Atlético do Cacém (3-0), os “leões” somaram nove jogos consecutivos sem ganhar, os três primeiros ainda em jogos particulares.

Segundo disse Paulo Bento, na altura da saída, os adeptos entraram em “depressão” com a excelente pré-temporada do Benfica e isso influenciou negativamente a equipa: não havia Saviola, Ramires ou Javi Garcia para alegrar, mas apenas Matias Fernandez ou os já “despachados” Caicedo ou Ângulo.

Com duas eliminatórias para tentar chegar à Liga dos Campeões, o Sporting passou “milagrosamente” o Twente (0-0 em casa e 1-1 fora), garantindo desde logo o acesso à Liga Europa, mas já não teve a mesma sorte com a Fiorentina (2-2 em casa e 1-1 fora).

O “duelo” com os italianos, em que os “leões” até tiveram razões de queixa da arbitragem, terão, ainda assim, sido os melhores da época para os “leões”, que, volvidos sete meses, já só estão envolvidos na Liga Europa. Segue-se o Everton e o perigo de a época acabar... em Fevereiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.