O presidente do Vitória de Guimarães, Emílio Macedo, criticou duramente o árbitro do jogo disputado hoje em Paços de Ferreira, onde os vimaranenses perderam por 2-1, afirmando que a 28.ª jornada da Liga de futebol tem sido «madrasta» para a sua equipa.

«Saio daqui insatisfeito com aquilo que se passou dentro das quatro linhas. Há uma primeira situação em que há penálti, de que resulta a amostragem de um cartão amarelo, há uma segunda situação, que acaba com o segundo cartão amarelo ao nosso jogador. O penálti contra o Guimarães não existe e deu o empate», queixou-se Emílio Macedo.

O dirigente foi o único elemento do Vitória a prestar declarações na conferência de imprensa, depois de o técnico Manuel Machado, na entrevista rápida à Sport TV, ter resumido em duas palavras o que pensava sobre o sucedido: «vergonhoso, escandaloso».

O presidente vitoriano falou ainda em «critérios que não foram iguais para as duas equipas» e lembrou a época passada e o jogo disputado em Braga, precisando: «No ano passado, em Braga, foi também o que se viu. Realmente, a 28.ª jornada é madrasta para o Vitória de Guimarães».

«Gostaria de salientar a bela exibição que os meus jogadores tiveram em campo, foram uns heróis e saíram daqui de cabeça levantada, mas, desta forma, o futebol não vai a lado nenhum», concluiu Emílio Macedo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.