O sonho comandava a vida do FC Porto, mas a equipa de Julen Lopetegui não cumpriu este domingo a sua obrigação de vencer o Belenenses no Estádio do Restelo. O golo solitário de Jackson Martinez, com a contribuição de Gonçalo Brandão, aos 44’, teve a resposta de Tiago Caeiro nos instantes finais. O empate permite ao Benifcas sagrar-se bicampeão, a uma jornada do fim. Os encarnados empataram 0-0 com o V. Guimarães.

Sem contar com Casemiro, os dragões entraram em campo com Rúben Neves. Porém, mais do que essa ausência, terá sido o forte calor a toldar os dragões nos primeiros minutos. De facto, os momentos iniciais pertenceram essencialmente ao Belenenses, que entrou desinibido, confiante e dinâmico.

Com a inspiração de Fábio Nunes e Sturgeon, os azuis do Restelo conseguiam contrariar o favoritismo portista na aurora da partida. Assim, aos 13’, Camará teve uma oportunidade clara para marcar e aos 20’ o mesmo jogador não conseguiu aproveitar um mau atraso de Quaresma para bater Helton.

O FC Porto demorou a acordar no Restelo e foi preciso Herrera ‘tocar o despertador’. Aos 23’, o mexicano desperdiçou a primeira grande ocasião portista, ao atirar ao lado da baliza de Ventura. Contudo, o Belenenses não se intimidou e continuou a jogar um futebol agradável, por oposição à letargia dos dragões.

No entanto, o FC Porto acabaria por se soltar e chegar à vantagem em cima do intervalo. Aos 44’, Alex Sandro fugiu na esquerda e cruzou para o cabeceamento certeiro de Jackson Martinez, com a bola ainda a desviar em Gonçalo Brandão e a bater Ventura. O tento portista foi um prémio à eficácia perante a falta de pontaria do Belenenses.

No segundo tempo, o FC Porto entrou determinado a resolver rapidamente o jogo e empurrou o Belenenses para a sua área. Com Brahimi, Quaresma e Jackson apontados à área do Belenenses, os dragões pressionaram em busca do segundo golo.

Contudo, com o tempo a pressão portista começou a esmorecer e entrou num modo de gestão da vantagem, com Lopetegui também a mexer na equipa em resposta às alterações de Jorge Simão. Uma dessas alterações foi mesmo Tiago Caeiro, que se viria a revelar decisivo.

Aos 84’, quando já não se adivinhavam mudanças, o Belenenses chegou mesmo ao empate, por Tiago Caeiro. O avançado finalizou uma grande jogada de Dálcio, onde ficaram à vista as falhas na defesa portista, com Helton a não conseguir evitar a igualdade.

Perante o empate e a pressão do tempo, o FC Porto tentou carregar nos últimos minutos, mas a inspiração não se cruzou com os dragões e o empate acabou mesmo por comprometer os planos do FC Porto de pressionar o Benfica.

O Benfica também empatou com o V. Guimarães e fez a festa do bicampeonato.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.