O médio Castro regressou ao seu clube, onde todos os dias trabalha para garantir o seu lugar na equipa. Como o ano passado esteve ao serviço do Olhanense, não faz comparações com a equipa deste ano, sobre a qual tem uma opinião formada: “Está boa, mas vai ficar melhor”.

“Acredito muito nesta equipa. É uma equipa com muita ambição para sermos campeões e ganhar todas as provas em que o FC Porto esteja. Todos nos acreditamos no trabalho do mister”, disse Castro no superflash desta quarta-feira, que antecedeu o treino no Olival.

O jovem jogador não tem dúvidas que “o FC Porto está bem reforçado, principalmente, no meio-campo, com a chegada de Moutinho”, o mesmo meio-campo que pode ficar órfão de Raul Meireles.

“Se vier a acontecer [saídas de Meireles e Bruno Alves], será muito triste porque são símbolos do clube. Mesmo com as noticias, eles têm trabalhado na mesma, como se fossem jogadores do FC Porto”, frisou Castro.

No passado domingo teve direito a usar a braçadeira de capitão, no jogo de apresentação com a Sampdoria, naquele que foi um “momento inesquecível”.
“Até me deu vontade de chorar. Toda a minha vida sonhei com isto e com o estádio cheio mais bonito foi”, lembrou.

Com o primeiro teste a sério a acontecer dia 7 de Agosto, no jogo da Supertaça com o Benfica, Castro garante que o “FC Porto está a trabalhar para toda a época e não apenas para um jogo”.

Quanto ao treino que se seguiu não há novidades. Mariano continua a ser o único ausente, estando ainda a recuperar da grave lesão sofrida no final da época passada.

O FC Porto volta a treinar amanhã, no mesmo local, e na sexta-feira parte para França, onde irá disputar o Torneio de Paris. No dia 31 de Julho os Dragões defrontam, às 18 horas, o PSG e, no dia seguinte, mede forças com o Bordéus, às 15h45.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.