“Ao fim de quatro meses de trabalho esperávamos estar melhor em termos de qualidade de jogo e em termos pontuais. Já referi alguns dos factores que contribuíram para não estarmos tão bem. O treinador é o mesmo há quarto anos, alguns jogadores estão também há quatro anos, mas não estão todos”, disse em conferência de imprensa.

“Se me perguntarem se esperava estar melhor, jogar melhor e estar melhor no campeonato digo que sim, que esperávamos tudo isso”, acrescentou.

O técnico do Sporting deixou também elogios ao próximo adversário, o Vitória de Guimarães, considerando que a mudança de técnico pode criar mais dificuldades à sua equipa.

“O pensamento de qualquer jogo são três pontos, sabendo que é um campo tradicionalmente difícil. Houve agora uma mudança de treinador, antes conhecíamos e agora podemos saber um pouco menos aquilo que o Paulo Sérgio vai fazer para o jogo, mas mesmo com essas dificuldades para poder analisar de forma mais concreta como vai jogar, o Sporting tem e deve ter capacidade para se poder adaptar a qualquer situação nova no jogo, com capacidade para impor o seu jogo e uma ambição grande para conquistar os três pontos, que é o resultado que nos interessa”, salientou.

Em relação à pressão sobre a sua equipa, Paulo Bento defendeu neste momento “nada pode aumentar a pressão” e que a equipa tem que saber viver com a pressão.

“O que tem de fazer é jogar para conquistar três pontos num campo difícil, com uma equipa difícil, que tem jogadores experientes e com muita qualidade técnica e que tem um treinador que fez um bom trabalho no Paços de Ferreira”, afirmou.

O técnico explicou ainda que a equipa terá que jogar na terça-feira ao mesmo nível que jogou os primeiros 30 minutos na Letónia para conseguir vencer, mas “durante mais tempo”.

“Quando não conseguirmos estar ao nível dos primeiros 30, não podemos estar ao nível da segunda parte do jogo da Letónia. Temos capacidade para jogar bem, mas também temos que ter capacidade para valorizar o bom que fizemos”, referiu.

A terminar, Paulo Bento afirmou que não espera um adversário fechado, até pelas suas aspirações na Liga.

“Não me parece que vá ser um jogo parecido com jogos que já tivemos, com equipas a jogarem com um bloco muito baixo. Penso que o Guimarães vai tentar discutir o jogo e se tivermos em conta objectivos do Vitória, essa será também uma filosofia do técnico. Acredito que será um jogo repartido”, concluiu

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.