O presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), Joaquim Evangelista, defendeu esta quinta-feira que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Liga devem ser ouvidas no Parlamento, devido ao incumprimento salarial dos clubes.

«Cerca de 80 por cento dos clubes têm salários em atraso entre um e cinco meses. Seria importante que esta Comissão ouvisse igualmente a Liga e a Federação Portuguesa de Futebol. Estas entidades, enquanto responsáveis pelas competições profissionais e não profissionais, têm responsabilidades, têm um papel decisivo e devem ser ouvidos. Só uma solução partilhada terá condições para ter sucesso», afirmou Joaquim Evangelista.

O presidente do SJPF, que foi ouvido esta tarde na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura – Grupo de Trabalho de Desporto, lembrou que está em causa «a igualdade entre competidores e verdade desportiva».

«O que está em causa não são apenas os direitos dos jogadores, mas também a igualdade entre competidores e a verdade desportiva. É fundamental que os regulamentos sejam aplicados, e bem aplicados. O problema não está nos momentos de controlo mas na forma e na responsabilização de quem o faz», alertou.

Joaquim Evangelista alertou ainda para a «necessidade de defender a dignidade dos jogadores de futebol e das competições», de modo a «proteger a viabilidade do futebol português», sendo para isso necessário «alterar o quadro regulamentar e legal em vigor».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.