A direcção do Beira-Mar anunciou hoje um atraso de um mês no pagamento dos salários e contribuições à Segurança Social, estando a situação financeira a colocar em causa o jogo com o Benfica da Liga de futebol.

Em relação ao jogo com o Benfica, da 12.ª jornada da Liga, o presidente António Regala frisou: “O Beira-Mar tem as receitas arrestadas e penhoradas pelos ex-dirigentes até ao final da época e, neste momento, está em causa a organização do jogo com o Benfica, que nos irá custar cerca de 40 mil euros”.

“Os jogos da Liga têm encargos financeiros elevados e passar a pagar para jogar é uma situação insustentável”, disse, adiantando ainda: “Temos até ao final da semana para resolver esta situação”.

O dirigente acrescentou ser "uma impossibilidade governar o clube tal como está" e, por isso, apelou "às pessoas que acordem, para que depois não lamentem a morte do clube”.

“Esta direcção prometeu gerir o clube até às próximas eleições e não queremos atirar a toalha ao chão, mas não há paciência, disponibilidade e predisposição psicológica para continuar”, disse o dirigente.

António Regala garante terem sido feitas todas as tentativas em termos de negociações para chegar a um entendimento com os ex-dirigentes, apesar de tal não se ter mostrado possível até à data.

Todavia, o dirigente sublinhou: “Tenho ainda uma réstia de esperança de que haverá algum fundo de beiramarismo da parte dos ex-dirigentes para proporem uma solução viável para esta situação”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.