As goleadas nos jogos entre FC Porto e Benfica são um dos factores determinantes para a construção desta rivalidade quase centenária entre dois clubes que têm dominado o panorama do futebol português nos últimos anos.

E para confirmar isso, basta recordar a primeira goleada entre os dois clubes a 28 de maio de 1933 para se perceber que a rivalidade entre FC Porto e Benfica iria marcar a história do futebol português nos próximos anos.

FC Porto 8-0 Benfica

Era domingo, e o Benfica visitava o FC Porto no Campo da Constituição para um jogo a contar para a primeira mão dos quartos-de-final do Campeonato de Portugal - prova que precedeu a Taça de Portugal. O técnico dos portistas era o célebre húngaro Joseph Szabo, que anos depois viria a marcar uma era no Sporting Clube de Portugal, mas para a história ficaram os oito golos do FC Porto aos lisboetas com os 'hat-tricks' de Acácio Mesquita e Valdemar e os golos de Lopes Carneiro e Nunes.

Para além do primeiro resultado tão desnivelado entre FC Porto e Benfica, este jogo marcou também a primeira vez que os dois clubes cortaram relações devido a incidentes após o apito final do árbitro espanhol Pedro Escartin. Segundo rezam as crónicas, tudo começou quando Laurindo Grijó, dirigente da Federação Portuguesa de Futebol e delegado do FC Porto ao encontro, envolveu-se numa acesa discussão com o presidente do Benfica, Conceição Afonso, e acabou por ser agredido por Ralph Bailão.O jogador do Benfica acabou por ser erradicado do futebol enquanto o dirigente da FPF recebeu uma advertência. Na sequência destes incidentes, o FC Porto corta relações com o Benfica, que só viriam a ser reatadas em 1935 com um jogo particular.

FC Porto 6-1 Benfica ; Benfica 6-0 FC Porto

Em 1939, o FC Porto voltaria a golear o Benfica por 6-1 na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, mas no jogo da segunda mão realizado no Campo das Amoreiras, em Lisboa, a equipa encarnada, comandada pelo húngaro Lipo Herczka, conseguiu anular a pesada derrota na Constituição e responder com uma goleada por 6-0, seguindo para a fase seguinte da competição já rebaptizada de Taça de Portugal. Nota para o facto do FC Porto ter terminado esse jogo aos 75 minutos, em inferioridade numérica, devido às expulsões de Reboredo e António Santos, com os jogadores a sair do campo em protesto e que levou a novo corte de relações entre os dois clubes.

Benfica 12-2 FC Porto

Na década de quarenta, o Benfica acabaria por infligir a maior goleada de sempre ao FC Porto numa tarde de fevereiro. Os azuis e brancos atravessavam uma crise de resultados na época 1942/1943 e na visita a Lisboa para disputar a 5ª jornada acabariam por ser goleados por estrondosos 12-2 no Estádio do Campo Grande. Na lista de marcadores destaque para os quatro golos de Júlio e os bis de Valadas, Teixeira e Manuel da Costa.

Quase uma década depois, a 8 de outubro de 1950, o FC Porto recebia o Benfica para a 4ª jornada do campeonato nacional no Campo da Constituição e acabaria por vencer os encarnados por 5-2. Nelo abriu o marcador aos 35 minutos, mas Águas acabaria por empatar no minuto seguinte. No entanto, dois golos de Monteiro da Costa e outros dois de Vital acabariam por garantir um triunfo robusto sobre os adversários. Águas fixaria o resultado final aos 85 minutos.

FC Porto 2-8 Benfica

Curiosamente, a 28 de maio de 1952, quase 19 anos depois da célebre goleada por 8-0, o Benfica é o convidado de honra para a inauguração do Estádio das Antas, e qual 'hóspede sem maneiras' impõe uma pesada derrota por 8-2 que ficaria para a história. Os portistas acabariam por dar o troco anos depois com uma vitória por 3-1 na inauguração do Estádio da Luz, mas a rivalidade entre os dois clubes já estava semeada a meio do século XX.

FC Porto 4-0 Benfica ; Benfica 6-0 FC Porto

Na década seguinte, o FC Porto teve de se sujeitar ao domínio do Benfica europeu de Eusébio, Coluna e companhia, e só em janeiro de 1971 voltaria a vencer o rival da Luz por números expressivos. No último dia de janeiro de 1971, o Benfica visitava o Estádio das Antas para a 18ª jornada do campeonato e Lemos fez história ao marcar os quatro golos (4-0) ao futuro campeão nacional. No entanto, na época seguinte, o Benfica acabaria por retribuir a goleada portista num jogo da meia-final da Taça de Portugal com um 6-0 em que Vítor Baptista e Nené bisaram. Artur Jorge fez o 2-0 aos 46 minutos, enquanto Valdemar marcou na própria baliza aos 70 minutos.

No final da década de setenta, o FC Porto conseguiria sagrar-se bicampeão nacional pela mão de José Maria Pedroto, e terminar um jejum de 19 anos sem vencer o título de campeão nacional.

Benfica 0-5 FC Porto

Nos anos oitenta, os jogos entre FC Porto e Benfica tornaram-se muito equilibrados sem margem para goleadas entre os dois clubes. Só na década de noventa é que as goleadas regressaram aos 'clássicos', e o 5-0 no Estádio da Luz para a Supertaça de Portugal foi sintomático do enorme fosse competitivo que já separava os dois clubes. A 18 de setembro de 1996, o FC Porto visitava o terreno do rival depois de ter vencido no Estádio das Antas por 1-0. Ao intervalo, o resultado já registava a vantagem do FC Porto por 2-0, com golos de Edmilson e Artur, e no tempo complementar o domínio avassalador dos portista fechou com chave de ouro mais um título com golos de Jorge Costa, Wetl e Drulovic.

FC Porto 4-0 Benfica; FC Porto 5-0 Benfica

E a primeira goleada do século XXI entre FC Porto e Benfica ocorreu a 23 de janeiro de 2001 numa 6ª eliminatória da Taça de Portugal no Estádio das Antas. Os 'dragões' de Fernando santos venceram a equipa do Benfica comandada por Toni por 4-0 com golos de (2) Alenitchev, Pena e Paredes.

Já mais recentemente, num jogo a contar para o campeonato, o FC Porto de Villas-Boas goleou o Benfica de Jorge Jesus por 5-0 num jogo a contar para a 10ª jornada. Com golos de Varela, (2) Falcao e (2) Hulk, o FC Porto mostrou que os jogos com o Benfica são especiais para o público do Dragão e neste domingo não será, certamente, diferente.

*Artigo publicado originalmente a 6 de novembro de 2016

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.