Uma goleada para abrir 2015. Foi desta forma convincente e serena que o FC Porto abraçou o novo ano e o regresso ao campeonato, após a pausa natalícia e o "intervalo" para a Taça da Liga.

Perante o Gil Vicente, os dragões não sentiram dificuldades de maior para superar com distinção a deslocação a Barcelos, com golos de Casemiro, Indi, Brahimi, Óliver e Jackson Martinez. De pouco valeu o tento gilista assinado por Vítor Gonçalves.

Curiosamente, o jogo podia ter conhecido um rumo diferente caso a equipa minhota tivesse igualado a sua audácia inicial com a dose certa de eficácia. Nos primeiros 10 minutos os gilistas já tinham três remates - incluindo um à trave, por Paulinho, contra um redondo zero dos dragões.

Depois do arranque titubeante, os dragões equilibraram o jogo a partir dos 20 minutos, beneficiando de uma abordagem mais séria, maior rigor e um ritmo mais elevado face à pressão gilista. O golo de Casemiro, num grande remate de fora da área aos 36', deu o mote de um jogo diferente. Essa evidência ficou ainda mais visível com a expulsão de Jander aos 37 minutos, condicionando qualquer ambição do Gil em inverter uma derrota anunciada.

Contudo, a verdadeira diferença e domínio de valor foi guardada para o segundo tempo. Se dúvidas houvesse sobre o vencedor, rapidamente Indi as desfez. Numa das raras subidas à área adversária, o central dos dragões elevou para 0-2 com um belo golo de calcanhar, com 55 minutos e jogo.

A equipa de José Mota já pouco conseguia trazer ao jogo, mas ainda se esforçava por tentar surpreender em contra-ataque, num esforço de disfarçar a inferioridade numérica. Porém, essa inferioridade crescia também no marcador contra um FC Porto competitivo e insaciável.

Assim, aos 70', surgiria o 0-3, da autoria de Brahimi, que com um remate oportuno no coração da área se despediu provisoriamente dos adeptos portistas. Foi o seu quarto golo na Liga e o último antes da partida para disputar o CAN pela Argélia.

O 'canto do cisne', ou 'canto do galo para ser mais exato, foi alcançado por Vítor Gonçalves, que aos 76' conseguiu marcar para o Gil Vicente, reduzindo num contra-ataque exemplar a desvantagem.

Depois desse tento já só houve FC Porto, com Óliver Torres (79') e Jackson Martinez (87') a transformarem a vitória numa goleada convincente e inequívoca. A terminar, realce ainda para a expulsão de Alex Sandro, que colocou finalmente o jogo em igualdade numérica.

Com este triunfo, o FC Porto coloca pressão sobre o líder Benfica, ao reduzir provisoriamente a desvantagem para três pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.