Jaime Pacheco, que passou pelo FC Porto como jogador entre 1979-1984 e 1986-1989, acredita que a formação comandada por Paulo Fonseca fará uma grande época desportiva, acreditando inclusive que os azuis e brancos poderão marcar presença na final da Liga dos Campeões, no Estádio da Luz. 
Veja a entrevista que o ex-treinador do Boavista concedeu ao SAPO Desporto.
A contratação de Paulo Fonseca pareceu-lhe natural?
Era o técnico que mais merecia treinar o FC Porto. Fez um trabalho excecional com o Paços de Ferreira, que dificilmente se repetirá tal feito [terceiro lugar no campeonato]. De uma forma natural, Paulo Fonseca colocou o Paços a praticar um futebol de excelência. Tinha um passado desconhecido e a sua ascensão ao FC Porto foi merecida. Foi o melhor treinador da época passada. Espero que tenha muito sucesso e que o seu comportamento não se altere. No final do jogo da Supertaça deu uma lição de humildade, lembrando-se do seu antecessor [Vítor Pereira] e atribuindo também a ele o devido mérito. Deu uma grande lição a muitos treinadores que se dizem “grandes”.
Do que viu da pré-época, o FC Porto parte para o campeonato como a equipa mais forte?
O FC Porto apresentou-se com muita qualidade. Paulo Fonseca soube acrescentar qualidade a esta equipa. Enquanto não fecharem as inscrições do mercado não podemos ter um cenário concreto. Se ao FC Porto não tirarem jogadores como o Jackson Martínez, Mangala e Fernando parte como superfavorito a vencer o campeonato. Tem grandes  hipóteses, talvez, de jogar a final da Liga dos Campeões na Luz. Mas, repito, só se manter este cenário e não vender os jogadores fundamentais. Este FC Porto tem muita matéria prima e muito potencial, com grandes jogadores, tais como os reforços que contratou ao Vitória de Guimarães, Estoril e Paços de Ferreira. É um trabalho virado para o presente e para o futuro também. Se o Benfica não se reforçar ou se deixar alguns jogadores sair, o Benfica pode estar arredado do título já em janeiro.
Algum reforço do FC Porto que destacaria?
Gosto muito dos jogadores portugueses que contratou. Podem até ser titulares. Os que vêm das épocas anteriores já estão formatados com a mística do FC Porto. 
As saídas de Moutinho e James vão-se notar ao longo da época?
Claro que não. O João Moutinho é um excelente jogador, um dos melhores do mundo. Era o melhor jogador do FC Porto e admiro-o bastante, e foi muito importante na equipa, mas o FC Porto soube sempre ultrapassar as dificuldades. Neste caso, o Defour em vez de jogar a “10” pode passar a jogar na posição de Moutinho. Pode não correr os mesmos metros mas são médios com características idênticas. O FC Porto está igual porque saem esses mas vêm outros melhores.
Acha que existe um setor mais fraco?
Não. A equipa até está mais entrosada. O Fucile vai dar trabalho ao Danilo, o Lucho, enquanto estiver de boa saúde, pode fazer uma grande época, assim como o Ghilas, que é uma alternativa ao Jackson, ou até podem fazer uma dupla. O FC Porto está melhor do que no ano passado. O FC Porto nunca depende de ninguém.
Como avaliaria a prestação do FC Porto na Supertaça?
Eu tinha dito a um amigo meu que o FC Porto ia ganhar 4-0. Mas a meio do jogo até pensei que poderia marcar mais, até porque o Vitória foi zero, não fez nada. O FC Porto jogou à FC Porto e geriu como quis na segunda parte. Ganhou com toda o mérito, mas o Vitória também não deu luta. Se ao longo da época, o FC Porto começar a todo gás  é muito difícil de o parar, como todo a gente sabe. Na Supertaça apresentou-se com um domínio avassalador.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.