O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, saudou “calorosamente” o regresso dos espetadores aos recintos desportivos, hoje anunciado pelo Governo na nova fase de desconfinamento da pandemia de covid-19.

“Devo saudar calorosamente esta medida do Governo que o desporto em geral e o futebol em particular há muito esperavam. É um momento merecido por todos os adeptos, por todos os clubes, por todos os atletas e agentes de todas as modalidades desportivas”, afirmou Fernando Gomes, numa mensagem divulgada no sítio oficial da FPF na Internet.

O Governo anunciou hoje que os recintos desportivos de todas as modalidades poderão preencher até um terço da sua lotação para espetadores a partir de 14 de junho, podendo ser exigido um teste negativo à covid-19.

“No que diz respeito à atividade desportiva, deixa de haver restrições nos escalões de formação e modalidades amadoras, devendo ter lugares marcados e regras de distanciamento definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) sempre que se realizem fora de recintos desportivos, e 33% quando se verifiquem em recintos desportivos”, explicou o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa.

O presidente da FPF reconheceu o “período bastante complicado por causa da pandemia”, enaltecendo terem “sido dado passos muito significativos para que o público pudesse voltar aos estádios, para que o futebol voltasse a ser o verdadeiro espetáculo dos adeptos e das massas”.

“O público tão apreciado por jogadores, treinadores e dirigentes, assumindo-se como a essência do futebol, está de volta. Não teremos os estádios completamente cheios, mas já podemos sentir um ambiente de que temos saudades e que revivemos no passado sábado na final da Liga dos Campeões”, salientou o líder federativo.

Fernando Gomes recordou o trabalho desenvolvido “de forma muito estreita ao longo de vários meses com as autoridades de saúde, bem como com o Ministério que tutela o Desporto e a secretaria de Estado no sentido de trazer de voltar o público”.

“Soubemos agarrar a oportunidade da Liga dos Campeões e, em conjunto com as autoridades de saúde, foi elaborado um plano que, do ponto de vista da organização desportiva, creio ter sido determinante, diria quase decisivo, para esta tomada de decisão que o Governo hoje anunciou”, realçou.

De acordo com o Governo, a partir de 14 de junho, as competições desportivas dos escalões de formação e modalidades amadoras vão poder ter 33% da lotação dos recintos, ficando as provas fora dos espaços desportivos sujeitas a regras a definir pela DGS.

Na fase seguinte do desconfinamento, prevista para depois de 28 de junho, também a DGS vai determinar a regulamentação sobre o acesso do público às competições de escalões profissionais ou equiparados, igualmente para um máximo de um terço da capacidade.

Na final da Liga dos Campeões, a vitória do Chelsea frente aos também ingleses do Manchester City, por 1-0, no Estádio do Dragão, no Porto, foi presenciada por 16.500 espetadores, cerca de 33% da lotação do recinto ‘azul e branco’.

“O parecer em relação a esse evento deverá estar muito próximo daquilo que vai ser o parecer que permitirá a retoma do público aos estádios. Face a tudo o que temos vindo sistematicamente a fazer no sentido de tentar trazer os adeptos de volta aos estádios, a FPF só pode congratular-se por ver o seu esforço reconhecido com esta medida do Governo”, rematou Fernando Gomes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.