O ex-futebolista internacional Fernando Meira disse hoje que a seleção portuguesa é uma das favoritas à conquista do Mundial2022, à margem da conferência Thinking Football, organizada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

"Temos hipótese de vencer [o Mundial] sempre, temos uma abundância de talento, com todas as posições muito bem ocupadas e com muita qualidade. Por isto, digo que Portugal é claramente uma das três, quatro equipas candidatas a vencer a competição", afirmou o antigo defesa central de 44 anos.

O antigo jogador de Vitória de Guimarães, Felgueiras, Benfica, Estugarda, Galatasaray, Zenit e Zaragoza analisou o trajeto da equipa portuguesa até à qualificação para a fase final do Mundial2022, considerando que o bom momento inicial da seleção, que agora terá de replicar, foi acompanhado de "algum facilitismo", o que levou a formação treinada por Fernando Santos a precisar de vencer os 'play-off' para chegar ao Qatar.

"Logicamente, em relação àquilo que foi a qualificação, acho que Portugal acabou por facilitar na fase final, no jogo em casa com a Sérvia, no qual tinha tudo para vencer e assim carimbar de forma positiva o apuramento. Desta forma, tivemos de ultrapassar posteriormente a Turquia", disse.

Fernando Meira, que atingiu as 54 internacionalizações por Portugal, identificou a mudança de mentalidade entre o trajeto nas competições internas e internacionais como uma das principais dificuldades impostas aos atletas, que poderá ser acentuada no Mundial, uma vez que se disputa a meio da época desportiva.

"Acho que existe uma transição importante daquilo que é o jogo da Liga nacional para o jogo internacional. Acontece muito no futebol. Por vezes, temos de saber distinguir aquilo que é o nosso momento atual na tabela classificativa do clube onde nos encontramos e temos de nos focar mais. São jogos com uma maior intensidade, muita mais exposição, e que todos os jogadores querem jogar. A preparação é vivida de uma forma completamente diferente. Eu não fugia à regra", constatou.

 O antigo defesa foi um dos principais pilares da campanha portuguesa no Mundial2006, que atingiu as meias-finais, tendo também integrado a equipa lusa no Euro2008 e recordou "o privilégio" de estar presente na prova, tendo destacado a "envolvência dos adeptos" como o principal fator de motivação.

"Só o facto de representar a seleção foi um motivo de orgulho enorme. A partir do momento em que vestes a camisola do teu país, ouves o hino do teu país... É o que, penso eu, qualquer jogador ambiciona, independentemente de ser numa grande competição ou não. É a melhor sensação do mundo enquanto jogador porque é chegar ao expoente máximo do teu país", expressou o antigo futebolista.

A conferência Thinking Football decorreu entre sexta-feira e hoje, no Pavilhão Rosa Mota, no Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.