O presidente da Assembleia geral (AG) do Paços de Ferreira, Fernando Sequeira, oficializou hoje em comunicado a sua candidatura à presidência do clube da I Liga de futebol, justificando a decisão "pela preservação do bom nome da instituição".

Em ano de eleições, estatutariamente a realizar em maio, Fernando Sequeira tomou a dianteira e confirmou candidatar-se à presidência da Sociedade Desportiva por Quotas (SDUQ) e do clube, que chegou a liderar durante quatro anos, antes de assumir a presidência da AG, em 2010, numa espécie de terceira via pacificadora.

"Sou candidato a presidente nas próximas eleições do Paços de Ferreira. Candidato-me porque é o clube da terra em que nasci, que gosto e que ainda me motiva a ajudar a crescer de forma sustentada, financeira, desportiva e patrimonialmente", começa por dizer Fernando Sequeira.

No mesmo comunicado, o sócio 45 do Paços de Ferreira junta, depois, novos argumentos à decisão de se recandidatar, manifestando preocupação com o rumo de uma eventual campanha envolvendo os putativos candidatos Paulo Meneses e Carlos Barbosa, sem nunca mencionar os seus nomes.

"Sem garantias, perfilam-se dois candidatos, que por reuniões realizadas, diversas auscultações e opiniões de muitos sócios, adivinha-se poder resultar numa campanha vazia de conteúdo e dando realce a questões que podem ferir o bom nome das pessoas em causa e o respeito que a nossa instituição merece e lhe é devido", pode ainda ler-se.

Fernando Sequeira assegurou ainda não ter intenção de arvorar-se em salvador do que quer que seja, mas reiterou a aposta em preservar o bom nome da instituição Paços de Ferreira.

"Sem pretender arvorar-me salvador de nada, juntei os possíveis candidatos (porque são meus amigos) numa tentativa de unir consensos, ideias e propósitos, mas rapidamente me apercebi da impossibilidade que esses desideratos importantes para a instituição fossem conseguidos", acrescentou.

A concluir, Sequeira, que oportunamente colocará o cargo de presidente da AG à disposição, prometeu nada mais dizer publicamente até às eleições e, assim, contribuir para "a calma e harmonia necessária e indispensável" de "toda a estrutura que defende os melhores resultados desportivos e para toda a administração que voluntariamente trabalha em prol do engrandecimento" do Paços de Ferreira.

A primeira reação a esta anunciada candidatura surgiu pela voz de Paulo Meneses, atual presidente da SDUQ, no final do jogo que opôs hoje Paços e Tondela (0-0), antes mesmo de a mesma ser oficializada.

"(Fernando Sequeira) Tem legitimidade para o fazer, mas, se fosse eu a pessoa em causa, o meu procedimento não seria esse. Fiquei surpreendido pelo ‘timing' da candidatura", referiu.

Paulo Meneses disse ainda não fazer parte de qualquer fação, assegurando que só revelará a sua posição sobre as eleições "quando o Paços tiver uma posição de estabilidade no campeonato".

Na história do Paços de Ferreira, nunca umas eleições para os seus órgãos sociais tiveram a participação de três candidatos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.