Declarações de António Folha, treinador do Portimonense, à Sport TV, após a derrota com o FC Porto, na 5.ª jornada da I Liga.

Diferenças entre a primeira parte e a segunda parte: "Temos que ser competentes até ao fim do jogo e no último lance não o fomos. Estamos muito contentes pela segunda parte de sonho que fizemos. Não é fácil jogar contra uma equipa grande desta forma, com esta reação. Parabéns aos meus jogadores, que quiseram mudar imagem da equipa na primeira parte, quando não tivemos bola nem oportunidades. Jogadores mudaram o chip, que têm qualidade, e mostraram-no na segunda parte. Ainda tentámos o 3-2, tivemos algumas oportunidades, mas aquela desconcentração deitou tudo a perder. Perdemos três pontos, mais nada, mas custa perder assim".

Conversa ao intervalo: "Ajustámos algumas coisas. Tínhamos um plano montado, que era entrar forte, para ganhar faltas e ascendente no meio-campo adversário. Por isso, esticámos um pouco o jogo. mas os jogadores perceberam que era para fazer o jogo todo, quando só era para jogar os primeiros cinco ou 10 minutos em profundidade. Mas, a partir daí, o jogo estava a ficar equilibrado. Queríamos que assentasse, que rumássemos à nossa ideia, mas, com mérito do Porto, que impôs uma pressão muito forte, não o conseguimos. Por isso, disse que tínhamos que tentar que o nosso jogo entrasse, de forma a libertar os nossos laterais e entrar no ultimo terço do Porto em velocidade, para surpreender. E aconteceu. Estou muito contente com os meus profissionais, fizeram um grande jogo. É esta atitude que quero, sem medo de perder, com muita ambição".

Contestação ao árbitro no final: "Normal e habitual, é a insatisfação dos jogadores. Temos é que ter competência para não sofrer um golo daqueles. Foi um burburinho, já passou."

O FC Porto igualou, este domingo, o Benfica no segundo lugar da I Liga portuguesa de futebol e reaproximou-se do líder Famalicão, ao vencer por 3-2 no estádio do Portimonense, em jogo da quinta jornada da prova.

Um golo de Marcano aos 90+8 minutos ‘salvou’ o vice-campeão nacional, que esbanjou uma vantagem de dois golos, materializada por Alex Telles (25 minutos, de grande penalidade, antes de ser expulso, aos 90+2) e Zé Luís (45), mas permitiu que os algarvios igualassem no espaço de três minutos, com tentos de Dener (74) e Koki Anzai (77).

O FC Porto passou a totalizar 12 pontos, os mesmos do Benfica, que no sábado venceu por 2-0 na receção ao Gil Vicente, ambos a um ponto de distância do Famalicão, enquanto o Portimonense, que ainda não venceu em casa, é 14.º classificado, com quatro pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.