O presidente da SAD da União de Leiria, João Bartolomeu, admitiu hoje a ruptura nas negociações para continuar a jogar no Municipal de Leiria, considerando que a equipa foi «varrida» da cidade.

«Fomos varridos de Leiria pelo engenheiro António Martinho [vereador do Desporto e presidente da Leirisport, empresa municipal gestora do estádio] e por isso não jogamos mais em Leiria. Ele disse que tínhamos de sair da cidade e vamos fazer o que nos pediu», afirmou hoje à Agência Lusa o líder da SAD.

Segundo João Bartolomeu ainda não há uma decisão quanto ao local onde a União de Leiria se vai instalar.

«Tanto pode ser no distrito como fora. Estamos a estudar possibilidades», acrescenta.

O presidente da SAD é contundente em relação à posição da empresa municipal que gere o Estádio de Leiria:

«Pedem-nos 250 mil euros, mas desconheço qualquer dívida. Nós cumprimos a nossa parte do contrato [de utilização do estádio], eles é que não. Por isso rescindimos o contrato em Fevereiro, por carta registada com aviso de recepção.»

João Bartolomeu argumenta que a Leirisport falhou «na entrega de 25 por cento da publicidade vendida e impediu a participação da União de Leiria na venda de bilhetes», entre outras situações que considera constituírem «violações ao acordo».

«Nós não incumprimos, eles é que incumpriram. É uma vergonha o que está a acontecer e que vai levar à saída da equipa da cidade. Os leirienses têm de saber o vereador têm. É lamentável e triste. Os desportistas de Leiria têm de estar tristes com esta situação», concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.