O Benfica comunicou na noite de quarta-feira que Gabriel se encontra a contas com uma "parésia do VI par craniano esquerdo, com limitação da abdução, que condiciona dipoplia. Trata-se de uma situação que impossibilita determinar um prazo para o regresso à sua condição plena".

O problema, que provoca visão dupla e que tem origem na paralisia de nervos cranianos com função motora lateral do globo ocular, deverá, segundo avança esta quinta-feira o jornal 'A Bola' afastar o médio brasileiro dos relvados até ao final da presente época e poderá mesmo impedi-lo de estar a 100 por cento no arranque da próxima.

É que, segundo 'A Bola', e apesar de as 'águias' terem, em comunicado, referido que estão "afastados cenários de maior gravidade", os problemas de visão que afetam Gabriel implicarão uma paragem entre três e seis meses para a realização dos tratamentos, os quais passam por sessões específicas de fisioterapia, não podendo o jogador treinar-se no relvado.

No comunicado, o Benfica informou que Gabriel vai "continuar a apresentar-se diariamente no Benfica Campus para realizar trabalho físico", o qual terá de ser, ainda assim, bastante condicionado. Ainda de acordo com 'A Bola', o centrocampista irá apenas efetuar exercícios que não possam conduzir a um possível agravamento da lesão e começará por fazer fisioterapia específica com o intuito de recuperar a funcionalidade do nervo craniano afetado, processo que costuma ser demorado.

Gabriel chegou ao Benfica na temporada passada, oriundo do Leganés. Esta época totaliza, no conjunto de todas as competições pelas 'águias', 24 jogos e dois golos, o último dos quais apontado precisamente derradeiro encontro em que marcou presença, frente ao Famalicão, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.