O antigo presidente do Sporting, Godinho Lopes, não poupa nas críticas ao atual líder leonino, e acusa mesmo Bruno de Carvalho de gerir o clube 'pelo medo'. Em declarações ao jornal i, o ex-presidente do Sporting volta a frisar que vai avançar com um processo em tribunal contra Bruno de Carvalho, e considera uma 'injustiça' a sua expulsão de sócio do clube de Alvalade.

"Não vou dizer se [Bruno de Carvalho] é mais ou menos sportinguista do que eu, quanto muito será igual a mim. Não vou discutir se trabalha mais ou menos do que eu; trabalha 24 horas, eu trabalhei 24 horas. Não vou discutir se é assalariado no Sporting e eu nunca fui. (...) Soube baixar os custos. Eu teria feito de outra maneira. Não teria despedido toda a gente, mas isso são estilos de gestão. (...) Considero errado que ele pense que o Sporting começou quando ele chegou. Ou que desde o tempo de José Roquette ou de Pedro Santana Lopes é que as coisas começaram a correr mal (...) Depois há toda a sua forma truculenta de trabalhar no que se refere à maneira de estar no Sporting, de gerir pelo medo, perante os trabalhadores, perante os jogadores. E isso vê-se na maneira como geriu os casos de Manuel Fernandes, Marco Silva ou o meu próprio caso. Revela, de facto, que não está para unir os sportinguistas", afirmou Godinho Lopes ao jornal i.

"Como é que 3 milhões de sportinguistas podem apoiar o Sporting quando o próprio presidente divide o Sporting? Os aspectos que critico têm a ver com a maneira truculenta como gere, como cria casos. Passaram quase 30 meses desde que é presidente e não se ouvem vozes contra. A única voz que se ouve agora sou eu ou Dias da Cunha porque fomos atacados", acrescentou o antigo presidente sobre a atual gestão do líder leonino.

Sobre a sua expulsão de sócio do Sporting, Godinho Lopes garante que nunca irá avançar contra o clube, mas quer repor a verdade e irá acusar 'pessoas'.

"Vou analisar a tal auditoria, ver aquilo de que me acusam e vou meter processos em tribunal. Não vou, naturalmente, visar o Sporting, que é o meu clube. Não vou atacar o Sporting , mas vou atacar as pessoas que promoveram quer as auditorias quer o inquérito. Não se pode lavar as mãos como Pilatos. (...) Não tenho nada contra o Sporting e quero um dia voltar a ser sócio reintegrado com toda a alegria do mundo. não aceito é ser injustiçado".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.