A evolução do mercado e o inflacionamento dos preços levam o Sporting a pensar noutros nomes para reforçar a equipa, que não os que foram avançados no processo eleitoral que conduziu Godinho Lopes à liderança.

Essa ideia foi manifestada na noite de hoje pelo presidente “leonino”, em Castelo Branco, onde participou no Jantar da Mulher Sportinguista, secção afeta ao Núcleo da cidade albicastrense.

«Em cada momento, procuramos encontrar as melhores soluções. As movimentações do mercado indicam que outros jogadores podem ficar disponíveis, com condições igualmente boas para reforçarem o Sporting», disse Godinho Lopes.

Foi nesta perspectiva que chegou a Alvalade o holandês Van Wolfswinkel. E outros se irão seguir: «O objectivo é criarmos uma equipa competitiva. Dotar o plantel com nomes que permitam a Domingos Paciência ter condições para lutar pelo primeiro lugar».

O líder directivo do Sporting adianta que a descrição que pautou a contratação de Van Wolfswinkel vai ser regra: «Ninguém falava neste jogador. Apareceu de surpresa enquanto todos andavam a lançar outros nomes».

«Comigo, o Sporting privilegiará a informação de dentro para fora. Procuraremos contratar os jogadores que entendemos serem melhores para o clube. Até ao regresso da equipa ao trabalho, mais aquisições serão feitas», garantiu.

A história dos chineses também teve lugar no discurso de Godinho Lopes. Mas não reforços: «Estive há três dias com o vice-presidente da Federação Chinesa de Futebol. Não queremos que venham charters da China, mas pretendemos levar alguns charters carregados de sabedoria. É nosso propósito ter uma academia nessa zona do Mundo, via Macau».

Perante uma plateia que ultrapassou a centena de “leoas” e acompanhado por Augusto Inácio, Pedro Cunha Ferreira, vogal da direcção, e Maria do Carmo Borges, associada número 6, Godinho Lopes caracterizou as mulheres como fundamentais no universo sportinguista:

«As mulheres e os jovens. Muitos Núcleos estão envelhecidos por falta desta componente. E a dinâmica dos núcleos revela-se não só pelas actividades que promovem, mas também pela militância», disse.

O dirigente promete ser interventivo no sentido de «aproximar cada vez mais estes pontos de Alvalade».

«Somos o único Núcleo que tem um departamento feminino. Ser sportinguista não é um peso, é um orgulho», vincou Olímpia Mendes, da organização da iniciativa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.