O presidente do Sporting reiterou hoje a intenção do clube de ter uma equipa B, considerando que essa é uma forma de aproveitar a formação e de evitar que alguns futebolistas emprestados brilhem noutros clubes.

«Depois dos juniores entendo que o Sporting B é o caminho certo. Naturalmente que não ficamos muito satisfeitos de ver o Cédric e Adrien (Académica) alinharem por outra equipa, ou o Wilson Eduardo (Olhanense) marcar [ao Sporting] na primeira jornada», afirmou.

No entanto, Godinho Lopes considerou que os dois jogadores emprestados à Académica têm toda a «legitimidade» para festejar a vitória na Taça de Portugal, domingo, frente ao Sporting.

«Eles são profissionais, respeito quem é profissional. Gosto mais deste tipo de atitude do que de outras de provocar penaltis ou de atuar de uma forma menos profissional para beneficiar a sua equipa. Quando emprestamos alguém é para valorizarmos os jogadores, se se valorizam como homens é também positivo», destacou.

Godinho Lopes, que falava após a assinatura do contrato de patrocínio com a Unicer, não confirmou a eventual saída do brasileiro Anderson Polga, mas agradeceu o tempo que o jogador passou em Alvalade.

«A seu tempo falaremos [sobre o futuro de Polga], a verdade é que estamos agradecidos pelos nove anos que teve no Sporting», referiu.

Sobre o projeto de UEFA de impedir a inscrição nas competições europeias de jogadores que pertençam a entidades terceiras, como fundos ou empresas, Godinho Lopes considerou que, caso o organismo avance com esta ideia, só clubes milionários poderão participar nas provas.

«Se isso acontecer, só o Chelsea, o Manchester City ou Paris Saint-Germain poderão jogar», disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.