Um golo de Elizeu, marcado na primeira parte, permitiu hoje ao Nacional vencer (1-0) o Olhanense e afastar-se um pouco mais dos lugares do fundo da tabela da Liga portuguesa de futebol, à sétima jornada.

O segundo triunfo do conjunto madeirense na Liga 2011/12 foi conseguido com muito esforço e alguma sorte à mistura, perante um Olhanense tranquilo e batalhador, discutindo o resultado até aos últimos instantes do jogo.

Com este desfecho, o Nacional passou a somar sete pontos, ocupando o 11.º lugar, enquanto o Olhanense manteve a oitava posição na tabela.

Com estados de espírito antagónicos, as equipas protagonizaram um espetáculo de nível médio. Os madeirenses intranquilos, tendo em conta o mau início de época, e os algarvios mais serenos, face à boa classificação.

Ciente da responsabilidade que o jogo encerrava, a equipa da Choupana entrou forte no jogo, empurrando o adversário para o seu meio-campo.

Logo aos dois minutos, Luís Neto falhou uma soberana oportunidade, após um livre cobrado por Skolnik, num lance em que o defesa do Nacional surgiu solto na área, mas falhou o remate.

A insistência dos madeirenses surtiu efeitos práticos aos 13 minutos: num lance de insistência do ataque, a bola foi “sacudida” pela defesa de Olhão e sobrou para Elizeu, que rematou forte e colocado, batendo Fabiano Freitas.

Pensando-se que o golo poderia ter efeito tranquilizador para os madeirenses, afinal foi o Olhanense quem reagiu, criando vários lances de perigo junto da baliza contrária.

O forasteiro Mateus, aos 30 minutos, deu o primeiro grande sinal de insatisfação da sua equipa, num remate a que o guarda-redes do Nacional respondeu com aplicação máxima.

Aos 38 minutos, o golo algarvio esteve à vista, num cabeceamento de Cauê, conseguido na sequência de um pontapé de canto.

Dois minutos mais tarde, Mateus voltou a ensaiar o remate e a bola bateu na barra, parecendo ter ultrapassado a linha da baliza. Contudo, o árbitro não sancionou o golo do Olhanense, ficando sérias dúvidas relativamente à decisão de Jorge Tavares.

Na segunda parte, os madeirenses deram a sensação de querer voltar a pegar no jogo, mas foi sol de pouca dura, uma vez que, do outro lado, o Olhanense veio do intervalo decidido a chegar à igualdade.

Com pouco esclarecimento de parte a parte, os algarvios conseguiram chegar mais vezes à baliza adversário e, aos 74 minutos, Fernando Alexandre poderia ter feito melhor, quando surgiu solto na área a tentar desviar a trajetória de um remate.

Recuado e a tentar segurar a vantagem mínima, o Nacional correu alguns riscos, mas acabou por conquistar a vitória.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.