O jovem internacional sub-21, que representava o FK Sutjeska, está na Madeira e vai viver o seu primeiro desafio fora do seu país, razão que justificou a opção de aceitar a proposta que lhe foi endereçada pelo clube da Choupana, conforme adiantou o jogador.

“Estava em final de contrato com o meu clube e tive várias propostas de diversos clubes. O Nacional foi o primeiro a abordar-me, mas foi também o clube que me propôs o desafio mais aliciante”, confessou Giljen, em declarações exclusivas ao sítio do clube.

Satisfeito com o contrato assinado, o jovem guarda-redes, que vai rivalizar com o habitual titular Rafael Bracali, mostrou-se bem identificado com a nova realidade.

“A Liga portuguesa é muito forte e o Nacional joga sempre para os lugares de acesso às competições europeias, pelo que nem sequer pensei duas vezes. Aqui terei certamente outra visibilidade e isso será muito bom para a minha carreira.”, adiantou confiante.

Vladan Giljen confessou ainda que antes de tomar uma decisão aconselhou-se com Tomasevic, colega da selecção que também joga no Nacional. 

"O Tomasevic disse-me muito bem do clube. Que era muito bem organizado, com excelentes condições de trabalho, com um bom presidente e um bom treinador. Que era o ideal para um jovem jogador como eu. E por aquilo que vi até agora, é tudo verdade. A cidade desportiva é fantástica, as pessoas também. Tenho a certeza de que me vou dar muito bem aqui”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.