A 8 de junho de 2017, há precisamente três anos, Sérgio Conceição era apresentado oficialmente como o novo treinador do FC Porto, substituindo Nuno Espírito Santo que tinha deixado o clube 17 dias antes.

A chegada de Conceição não foi fácil e obrigou o FC Porto a negociar com o Nantes, clube com o qual o técnico tinha um contrato válido até 2020. O presidente do Nantes ficou estupefacto com a intenção de Sérgio Conceição deixar o emblema francês e acusou mesmo Pinto da Costa de "falta de ética". Dias depois destas declarações, a 6 de junho de 2017, o Nantes 'deitava a toalha ao chão' - "Sérgio Conceição informou a direcção do FC Nantes da sua vontade irreversível de se juntar ao FC Porto".

Dois dias depois, o técnico era oficialmente apresentado como o novo timoneiro dos 'dragões' que prometia títulos para maio de 2018. Prometeu e cumpriu: a 5 de maio de 2018 o FC Porto colocava um ponto final na série de quatro títulos consecutivos do Benfica e levava o troféu de volta ao Porto cinco anos depois.

Em 155 jogos no banco dos 'azuis-e-brancos', Sérgio Conceição somou 112 vitórias, uma taxa de sucesso de 72,2 por cento.

O FC Porto é o sexto clube da carreira de Sérgio Conceição como treinador, depois de passagens por Olhanense, Académica, SC Braga, Vitória de Guimarães e Nantes.

Em março do ano passado, Sérgio Conceição renovou até 2021 com os 'dragões'. Na cerimónia de renovação do vinculo, realçou o amor que sente pelo clube, apesar de se recusar a utilizar a expressão "cadeira de sonho".

"É uma cadeira em que eu me sinto muito confortável. Cheguei aqui a esta casa com 16 anos, o meu trajeto foi fantástico... Não há palavras para exprimir o agradecimento que tenho pelas pessoas do FC Porto. É um amor verdadeiro. As palavras são banhadas pelo sentimento genuíno"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.