A atual direção do Sporting vai propor aos acionistas, na próxima Assembleia-Geral, a aprovação de uma “ação de responsabilidade civil” contra Godinho Lopes, Luís Duque, José Filipe Nobre Guedes e Carlos Freitas por terem realizado negócios prejudiciais para o Sporting.

Bruno de Carvalho e seus pares acusam a anterior administração liderada por Godinho Lopes de violarem “culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados”, causando assim “à Sporting SAD um prejuízo” aquando das contratações do hispano-venezuelano Jeffren e do peruano Alberto Rodriguez e ainda a renovação do vínculo com o russo Izmailov.

O caso mais "escandaloso" é o de Jeffren, contratado sem passar pelos exames médicos, segundo o Sporting. Além dos problemas físicos de quase nunca ter dado o seu contributo à equipa, o Sporting pagou 9.338.710€ em salários a Jeffren durante cinco temporadas e ainda enviaram 3.750.000€ para o Barcelona, na altura da compra do extremo.

Izmailov também foi outro negócio ruinoso para os cofres de Alvalade. O Sporting pagou 5.516.000€ em salários e 480.000€ como prémio quando o russo renovou o contrato. os "leões" pagaram ainda 853.360€ ao Gondry Financial Services Limited, por um contrato de exploração dos direitos de imagem.

O peruano Alberto Rodriguez também pouco jogou, devido a problemas físicos. O defesa central recebeu um salário anual de 669.000€, além de um prémio de assinatura de 836.400€. Os "leões" pagaram ainda 492 mil euros à Gestifute e ainda ofereceu 30 por cento do passe de Rodríguez. O jogador chumbou nos habituais exames médicos mas mesmo assim foi contratado, o que vai contra daquilo que é prática comum no mundo do desporto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.