O Sporting pondera recorrer aos tribunais para processar elementos da anterior administração leonina. Em causa estão as contratações de Jeffren e Alberto Rodriguez, além da renovação de Izmailov.

Os três jogadores já não estão ligados ao Sporting mas ainda dão muito que falar no universo leonino. Esta terça-feira ficou-se a saber os contornos da contratação do espanhol e do peruano, além dos valores da renovação do russo.

Jeffren, Rodriguez e Izmailov custaram uma fortuna aos cofres do Sporting, situação que poderá levar Godinho Lopes, Luís Duque, José Filipe Nobre Guedes e Carlos Freitas a tribunal. “Os administradores em questão violaram culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados e, em consequência, causaram à Sporting SAD um prejuízo, cujo montante irá ser concretizado pelos serviços jurídicos competentes para o efeito”, pode-se ler num comunicado enviado pelo Sporting à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, na noite desta terça-feira.

Diz o Sporting em comunicado que, em relação a Jeffren, os "administradores foram alertados pelo departamento médico de então para a não contratação sem que o mesmo fosse sujeito a rigorosos exames médicos pela Sporting SAD, atendendo ao historial clínico do jogador". O Sporting lembra que "ao longo das duas épocas que esteve inscrito, o jogador esteve a maior parte do tempo indisponível para prestar o seu contributo à equipa, por lesões musculares e respetiva recuperação", logo, seria imperioso ter feito os habituais exames médicos.

Alerto Rodriguez também nem deveria ter sido contratado, uma vez que tinha chumbado nos habituais exames médicos. A equipa médica “alertou para as evidentes fragilidades físicas do jogador, quer no que concerne à probabilidade de instalação de uma pubalgia (o que obriga a intervenção cirúrgica), quer no que diz respeito ao seu perfil lesional recorrente”, pode-se ler no comunicado. Os "leões" recordam que é "prática empresarial aceite que não devem ser contratados jogadores profissionais de futebol que tenham debilidades físicas que os impeçam de exercer a sua atividade plenamente". Apesar das recomendações, o Sporting contratou o jogador por quatro temporadas.

Izmailov também foi outro caso "bicudo" em Alvalade. A renovação de contrato com o médio russo resultou num “aumento exponencial dos custos” da SAD “leonina” e, por isso, foi “carecida de racionalidade empresarial”, diz o Sporting.

“O jogador ainda tinha mais dois anos de contrato em vigor, o jogador tinha sido objeto de diversos processos disciplinares, o atleta tinha problemas físicos recorrentes e o rendimento desportivo do jogador desaconselhava a renovação”, defende a administração de Bruno de Carvalho em comunicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.