A ruptura nos "azuis" do Restelo deveu-se à sexta derrota averbada pelos pupilos de João Carlos Pereira, que apenas conseguiram um triunfo em 14 jornadas, o que atira o clube para o 14.º e antepenúltimo lugar, com apenas 10 pontos.
Leixões (15.º, com 10 pontos) e Olhanense (16.º, com nove) defrontam-se ainda hoje em Matosinhos, pelo que a situação do Belenenses ainda se pode agravar.

Em termos de "chicotadas psicológicas", João Carlos Pereira "sucede" a Paulo Bento no Sporting, substituído por Carlos Carvalhal (antes da transição, Leonel Pontes orientou a equipa um jogo, no empate 2-2 no Rio Ave), que já tinha saído do Marítimo à sexta jornada.

Na altura, Carvalhal protagonizava a terceira mudança, após Carlos Azenha e Ulisses Morais, despedidos pelo Vitória de Setúbal e pela Naval 1.º de Maio, ambos após a quarta ronda.

Depois, a Liga viveu uma oitava jornada repleta de novidades, com cinco clubes a estrearem treinadores, com duas trocas directas - Paulo Sérgio mudou-se do Paços de Ferreira para o Vitória de Guimarães e Manuel Fernandes da União de Leiria para o Vitória de Setúbal.

Se André Villas-Boas substituiu Rogério Gonçalves na Académica, Paulo Sérgio deixou o Paços de Ferreira para substituir Nelo Vingada em Guimarães e Manuel Fernandes saiu da União de Leiria para ir para Setúbal, onde Joaquim Serafim "Quim" era técnico interino desde a saída de Carlos Azenha.

A saída de Paulo Sérgio abriu as portas do Paços de Ferreira a Ulisses Morais, enquanto a União de Leiria optou por apostar num regresso de Lito Vidigal à Liga principal. Lito, que orientou o Estrela da Amadora no início da época anterior, estava agora no Portimonense, que deixou no comando da Liga de Honra quando se mudou para Leiria.

Paulo Bento tornou-se o terceiro técnico a deixar um clube por iniciativa própria, ao sair do Sporting após a nona jornada da Liga, depois de ceder dois empates 1-1 em casa, com o Marítimo e o Ventspils, este para a Liga Europa.

Após quatro anos no comando dos "leões", Paulo Bento foi interinamente substituído pelo adjunto Leonel Pontes, que só logrou uma igualdade 2-2 no terreno do Rio Ave, na 10.ª ronda, e agora tem como sucessor Carlos Carvalhal, que assinou contrato até ao final da época, tendo o clube opção por mais uma.

Os outros dois treinadores que deixaram clubes por iniciativa própria foram Paulo Sérgio e Manuel Fernandes, tendo este abdicado mesmo de um prémio de 300 000 euros por ter conseguido a subida da União de Leiria à Liga Principal.

Alterações de técnicos em 2009/2010:

Jor. Clube             Sai                       Entra

 4.ª Vitória Setúbal   Carlos Azenha             Joaquim Serafim "Quim" a)

 4.ª Naval 1.º Maio    Ulisses Morais            Augusto Inácio

 6.ª Marítimo          Carlos Carvalhal          Mitchell van der Gaag

 7.ª Académica         Rogério Gonçalves         André Villas-Boas

     Vitória Guimarães Nelo Vingada              Paulo Sérgio

     Paços Ferreira    Paulo Sérgio              Ulisses Morais

     União de Leiria   Manuel Fernandes          Lito Vidigal

     Vitória Setúbal   Joaquim Serafim "Quim" a) Manuel Fernandes

 9.ª Sporting          Paulo Bento               Leonel Pontes a)

10.ª Sporting          Leonel Pontes a)          Carlos Carvalhal

10.ª Nacional          Manuel Machado            José Augusto b)

13.ª Nacional          José Augusto              Predrag Jokanovic b)

14.ª Belenenses        João Carlos Pereira       A definir

a) - Técnicos interinos.
b) - Por motivos de saúde que impedem Manuel Machado de exercer o cargo, José Augusto, seu adjunto, orientou a equipa do Nacional entre a 11.ª e 13.ª jornadas, e Predrag Jokanovic assumiu o comando à 14.ª, até ao regresso de Manuel Machado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.