O treinador do Paços de Ferreira, João Henriques, disse hoje que o Belenenses vai ter de pagar a fatura da goleada sofrida na jornada anterior, considerando "fundamental" vencer o jogo da 31.ª jornada da I Liga de futebol.

Na conferência de antevisão ao jogo de sábado, o técnico pacense admitiu que perder por 5-1 e em casa (com o Sporting de Braga) fez "mossa", num jogo em que o Paços ficou reduzido a 10 elementos desde os sete minutos, por vermelho direto a João Góis, e, por isso, a preocupação revelada com a recuperação física dos jogadores, sem perder o foco no jogo seguinte, com o Belenenses.

"O último jogo fez mossa, ninguém quer sofrer cinco golos contra quem quer que seja, não estava nas nossas contas e agora quem tem de pagar a fatura é a equipa seguinte. Com todo o respeito pelo Belenenses, vamos ter de conquistar estes três pontos e olhar para esta fase final do campeonato desta forma: com três pontos conquistados, sabemos que estamos muito mais perto de atingir a permanência", disse João Henriques, atento à "estabilidade" que uma vitória representa para a formação pacense.

O técnico pacense disse não ter dúvidas de que a permanência vai libertar a equipa, permitindo-lhe desfrutar o jogo e somar naturalmente mais pontos, porque "a qualidade está cá e o trabalho está feito".

"Já estivemos numa situação mais complicada, já estivemos abaixo da linha de água, com uma sequência de derrotas pesadas e com o jogo contra o FC Porto a seguir. Toda a gente julgaria que íamos continuar abaixo da linha de água e que iria ser muito difícil sair daquela situação, porque a seguir iríamos defrontar um adversário direto, que era o Estoril Praia, fora. Acabámos por fazer quatro pontos nesses dois jogos", afirmou.

Para João Henriques, o Paços está pronto e preparado para "entrar bem e concentrado no jogo" de sábado, em que vai defrontar um Belenenses que ganhou "outro tipo de dinâmica desde que o Silas entrou", sensivelmente na mesma altura em que ele próprio ingressou no Paços.

"Entrámos mais ou menos ao mesmo tempo, com uma semana de diferença, eu no Paços e o Silas no Belenenses. Ele tem 14 pontos, eu tenho 13 pontos. Ele tem três vitórias, eu tenho quatro vitórias. Ele tem cinco empates, eu tenho um empate. Portanto, estamos muito equilibrados em relação ao nosso campeonato e vamos tentar passar para a frente nesse minicampeonato das duas equipas", referiu.

O técnico pacense reconheceu no Belenenses "uma equipa que tem praticado um futebol positivo", sublinhando que "o Paços também o tem feito e já mostrou que é uma equipa que sabe o que quer durante o jogo", e, nesse sentido, previu "um jogo interessante de seguir", mas em que "os pontos têm de ficar, a bem ou a mal - como costuma dizer -, em Paços".

Mário Felgueiras e Quiñones, lesionados, juntam-se a João Góis, que cumpre um jogo de suspensão, na lista de ausentes do Paços para um confronto em que os empates estão em maioria, registando-se oito contra cinco triunfos dos pacenses e apenas dois do Belenenses.

O encontro da I Liga entre o ‘aflito’ Paços de Ferreira, no 16.º lugar, no limite da permanência, com 28 pontos, e o tranquilo Belenenses, 11.º, com 33, realiza-se no estádio Capital do Móvel, no sábado, pelas 16:00.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.