A má fase do Benfica não é motivo para o Vitória de Guimarães pensar que terá facilidades na Luz, esta sexta-feira. A garantia foi dada por João Henriques, treinador dos 'conquistadores', na antevisão do jogo com os 'encarnados'. O técnico deu o exemplo do jogo da Taça da Liga entre estas duas formações, que terminou empatado a uma bola (ganha depois pelo Benfica nos penaltis por 5-2).

"Na altura, não achei que o jogo da Allianz Cup, frente ao Benfica, fosse fácil. Foi difícil, mas fomos competentes para conseguir ter o empate. Eu faço aqui uma comparação: um animal selvagem, quando está ferida, uma águia no caso, dá bicadas tremendas a quem tenta tratar dela, quanto mais a quem a quiser agredir. Nós queremos conquistar os três pontos, mas sabemos que o clube, a equipa, o treinador, os adeptos, estão feridos no seu orgulho, porque é um momento menos positivo da história recente", frisou o técnico vimaranense.

João Henriques deu o exemplo da sua equipa, que no início da época também somou alguns resultados positivos mas soube-se erguer para subir na tabela.

"Olhamos para trás e houve um momento em que o Vitória não se exibia bem, mas foi ganhando, e as boas equipas, as grandes equipas, têm esse condão. Em momentos em que não aparecem as situações mais normais, resultados consecutivos positivos, são equipas grandes. O vitória passou por um momento mais complicado em termos exibicionais, foi conseguindo pontos. O Benfica vem de uma série de resultados não condizentes, mas isso diz pouco, porque existe muita qualidade individual e de quem dirige a equipa. Nós, da mesma forma, sentimos que estamos em crescendo, mas com os pés assentes na terra, sabendo que qualquer jogo é dificílimo de vencer", atirou.

Quanto à ausência do treinador Jorge Jesus do banco de suplentes do Benfica, devido à infeção pelo novo coronavírus, João Henriques desejou "rápidas melhoras" ao colega de trabalho e realçou que a sua ausência pode influenciar o rendimento adversário, quer pela positiva, com os jogadores a "unirem-se em torno disso", quer pela negativa, ao "apresentar-se condicionado".

Além de prolongar a série vitoriosa, a formação da ‘cidade berço' tem ainda a hipótese de encerrar a primeira volta do campeonato invicta nos jogos fora, depois de ter somado cinco triunfos e dois empates, com 12 golos marcados e três sofridos - é a defesa menos batida nessa condição.

O treinador reconheceu que, além do apuramento para as provas europeias, o Vitória tem "objetivos intermédios", entre os quais a conclusão da primeira volta sem derrotas e a manutenção do registo defensivo, sem "descurar a questão ofensiva".

Com Bruno Varela, Jorge Fernandes e Pepelu de regresso às opções, o técnico considerou ainda importante "sentir que o plantel está preparado para jogar de três em três dias" e para uma possível "rotatividade", a propósito do duelo com o Belenenses SAD, para a 18.ª ronda, na segunda-feira, em Oeiras.

O Benfica-Vitória de Guimarães está agendado para às 19h00 desta sexta-feira. Os 'encarnados' são apenas quarto colocados na I Liga com 33 pontos, os mesmos do SC Braga, terceiro, e já com uma distância de nove pontos para o líder e rival Sporting.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto