O presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol mostrou-se esta quarta-feira contra a vontade dos clubes em regressar ao sorteio dos árbitros, e defendeu a nomeações dos mesmos por haver 'mais vantagens'.

Em declarações ao jornal Record, Joaquim Evangelista defendeu a continuidade da nomeação dos árbitros e considerou que o sector da arbitragem tem um conhecimento mais profundo da sua própria realidade do que os clubes que recentemente 'decidiram' regressar ao sistema por sorteio.

"Quer os árbitros, quer a associação de classe têm mais conhecimento do sector, e isso é muito importante. Nesta altura, o que me parece é que a discussão está mais centrada nas quintas do futebol português, do que na essência", afirmou Joaquim Evangelista.

"Acompanho a posição dos árbitros e sou da opinião que as nomeações têm mais vantagens", acrescentou o presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol.

"As pessoas estão preocupadas com a forma de influenciar a arbitragem e não com a sua defesa", frisou ainda Evangelista.

"É preciso encontrar uma solução digna para o futebol português e não voltar a uma guerra aberta."

"O modelo que defendo é o das nomeações, também por ser aquele que está implementado nos outros países europeus. Admito que haja queixas em relação a alguns erros, mas não é mudando de sistema que serão corrigidos", sentenciou o dirigente sindical que será Delegado na Assembleia Geral da Federação de Futebol convocada para o dia 25 de julho, a fim de ratificar as propostas de alteração feitas pela Liga aos regulamentos de disciplina e de arbitragem.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.