José Gomes, atual treinador do Baniyas (Emirados Árabes Unidos), foi adjunto de Jesualdo Ferreira (2008-2010) no FC Porto e continua atento ao que se passa no Dragão, clube que já não vence há cinco jogos consecutivos e prepara-se para defrontar o SC Braga (sábado, às 20h30).

Como treinador, José Gomes consegue transmitir o que vai na cabeça de Nuno Espírito Santo, realçando a solidão à qual um técnico é sujeito.

“A vida de qualquer treinador de futebol profissional é preenchida numa grande parte do dia pela solidão. Não que a equipa técnica não apoie, não que a família não esteja sempre presente e totalmente disponível para melhorar o bem-estar, apenas porque, no final, será sempre o resultado desses momentos de solidão, onde a reflexão e profunda revisão de tudo o que se tem feito irão determinar o passo seguinte. É assim quando se perde mas também quando se ganha. Há a relação consigo mesmo, questionar e muitas vezes abrir espaço para incertezas, refletindo na orientação que se está a dar a todo o processo...Pelo meio, surgem pensamentos de toda a ordem, mas a experiência que o treinador do FC Porto tem no futebol profissional irá com certeza permitir que a confiança brote por todos os seus poros e irá contagiar toda a sua equipa de trabalho e os seus jogadores”, disse o treinador português, de 46 anos, em declarações exclusivas ao SAPO Desporto.

No duelo de sábado, José Peseiro regressa ao Estádio do Dragão, depois de ter lá estado na segunda metade da época passada, tendo substituído Lopetegui. Agora, no comando técnico do SC Braga, Peseiro mostra que foi a pessoa certa no lugar errado.

“José Peseiro é um excelente treinador, já deu provas disso durante muitos anos e em clubes diferentes. Mais uma vez, está a realizar um excelente trabalho no Braga e a passagem dele pelo FC Porto não teve os resultados esperados, muito pelo que já estava assimilado do trabalho do treinador anterior. Tal como referi na resposta anterior, o trabalho de base e toda a partilha de ideias, operacionalizada com exercícios que alteram comportamentos técnicos e tácticos, foi determinante para limitar a intervenção do José Peseiro”, continuou José Gomes.

O SAPO Desporto apresentou um hipotético cenário a José Gomes, em que o FC Porto perdia este sábado no Dragão e na próxima semana não conseguia a qualificação para os oitavos da Champions. Qual seria a sua decisão enquanto treinador?

“Isto não irá acontecer. Mas se acontecer, terei todo o gosto a responder à sua pergunta”.

José Gomes orientou, em Portugal, o Desportivo das Aves, Moreirense, Leixões e Paços de Ferreira, além de ter sido adjunto do FC Porto e preparador físico do Benfica. Saiba mais sobre José Gomes AQUI

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.