O Desportivo de Chaves quer vencer o “adversário direto” na luta pela manutenção Desportivo das Aves, no domingo, num jogo da 26.ª jornada da I Liga de futebol “importante para as duas equipas”, disse hoje o técnico José Mota.

“Sabemos a importância que têm os três pontos, para uma e outra equipa. Vamos jogar frente a um adversário direto e pretendemos estar tranquilos, organizados, fazer um jogo muito positivo e alcançar o que mais precisamos”, destacou o treinador, na conferência de imprensa de antevisão, antes da estreia pelo emblema de Trás-os-Montes, no domingo, às 15:00, na Vila das Aves.

O conjunto flaviense ocupa o 17.º e penúltimo lugar da tabela, com 21 pontos, e José Mota reconheceu que a nove jornadas do final todos os jogos são “importantíssimos” e considerou a deslocação ao terreno do 14.º colocado com 26 pontos como fundamental no “aspeto psicológico”, frente a uma equipa com “os mesmos objetivos”.

Depois de substituir Tiago Fernandes no comando técnico dos flavienses, orientando o primeiro treino na segunda-feira, José Mota explicou que quando as equipas estão em posições complicadas da tabela é natural os jogadores terem “dúvidas sobre si próprios” e haverem “situações adversas” que não se podem controlar.

“Durante a semana tentámos dar aos jogadores o que mais necessitam, a confiança e a responsabilidade, e ensinar também os que não estão habituados a viver este tipo de situações, fazendo-os compreender que é uma tarefa para homens”, realçou.

O treinador de 55 anos disse também ter procurado que o grupo percebesse a realidade do clube, e transmitir que “ainda há condições para alcançar o grande objetivo”.

José Mota, que começou a temporada no Desportivo das Aves, não vê vantagem em ter a sua estreia pelos transmontanos frente à sua antiga equipa, alertando para os “pormenores do jogo”, que podem resultar em “golo, vitórias ou derrotas”.

“Temos de estar conscientes das dificuldades e da responsabilidade do próprio jogo. O Aves tem tido um ciclo de resultados positivos e temos de ter essa mesma força interior de que podemos conquistar pontos nas Aves”, vincou.

O técnico, que não divulgou a lista de convocados, vê as duas equipas “muito idênticas neste momento”, quer a nível da qualidade dos jogadores, quer a nível de ambições no campeonato, explicando que embora o adversário esteja melhor em termos pontuais, “em um ou dois jogos tudo se altera”.

Para a sua estreia ao serviço do Desportivo de Chaves, José Mota apenas não pode contar com o lateral esquerdo Djavan, que cumpre um jogo de castigo, tendo o restante plantel à disposição.

O jogo na Vila das Aves, após a chegada do terceiro técnico da temporada, levou a uma mobilização de adeptos transmontanos, com o clube a esperar a presença de cerca de mil apoiantes, tendo ainda disponibilizado gratuitamente sete autocarros, para os adeptos que comprem o bilhete para o encontro, com um custo de dez euros.

Considerando o apoio “fundamental e galvanizador”, José Mota fez um apelo aos adeptos para que “ajudem durante os jogos” e que “tenham confiança”.

“É hora de nos unirmos, de estarmos todos presentes e conseguirmos o grande objetivo que é a manutenção”, atirou.

O Desportivo de Chaves, 17.º e penúltimo classificado com 21 pontos, defronta o Desportivo das Aves, 14.º com 26, no domingo, às 15:00, em jogo da 26.ª jornada da I Liga, na Vila das Aves.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.