Um ano e meio depois de ter deixado o futebol, Kikin Fonseca recordou a sua passagem pelo Benfica, em entrevista ao jornal O Jogo. O antigo avançado chegou à Luz no verão de 2006, mas nunca conseguiu afirmar-se, tendo mesmo estranhado a forma como tudo se processou.

"Veio o José Veiga ao México buscar-me e, no início, eu nem entendia porque não jogava. Deram-me pouco tempo e, mesmo assim, ainda marquei uns golos (três). Depois apareceu-me um representante croata (Zdenko Ilicic), a dizer que conhecia o treinador da altura, Fernando Santos. E disse-me ele: 'Vais ser prejudicado se não me deres 300 mil euros'. Disse-lhe: 'Repara uma coisa: o José Veiga é que foi ao México buscar-me!' Disseram-me que foram eles (Ilicic e um sócio) que me levaram para o Benfica. Logo, queriam 300 mil euros".

"Não sei se o José Veiga tinha algo a ver ou estava feito com eles, o que sabia é que não jogava. Fui ter com o Fernando Santos e disse-lhe: 'Ó Fernando, veio ter comigo um indivíduo a dizer que eu ou lhe dou 300 mil euros, ou tu vais prejudicar-me'. Ele respondeu-me que não se metia em nada destas coisas. Mas não só eu não jogava como depois até começaram a desgastar-me; metiam-me a treinar sozinho à tarde, quando a equipa treinava de manhã, por exemplo. Depois já diziam que me queriam transferir para o Hamburgo. Mas senti que algo corrupto se passava. Quase me pediram dinheiro para jogar", revelou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.