Desde o apito inicial que o Sporting foi mais equipa. Mais rápido e acutilante sobre a bola, os leões sufocaram o Porto e a vantagem conseguida logo aos 5’ ajudou a equipa de Carlos Carvalhal a agigantar-se perante um FC Porto surpreendido nos primeiros minutos por um Sporting que chegava sempre primeiro.

E para este óptimo início dos leões, assim como para o que se seguiria, muito contribuiu Pedro Mendes: experiente, fez a equipa mexer-se ao seu ritmo, acelerando quando se pedia e pausando quando o Sporting precisava de recuperar o fôlego.

O Sporting surpreendia pela rapidez estonteante com que fazia as transições atacantes, deixando completamente desorientado Bruno Alves e companhia.

É caso para questionar para onde andou escondida esta equipa que apenas resolveu aparecer no jogo contra o Everton e que agora “esmagou” os tetracampeões nacionais.

A meio da primeira parte o Porto ainda ensaiou uma reacção mas até aí o Sporting sob gerir a partida, deixando jogar quando as pernas já acusavam o ritmo alto dos primeiros minutos.

E o golpe de mestre chegou em poucos minutos: à beira do intervalo Izmailov fazia os 2-0 e ainda os jogadores do Porto se ambientavam ao regresso para a segunda parte e já Miguel Veloso matava o jogo depois de um pontapé estrondoso de Liedson ao poste.

Depois, perante um Porto desfeito, houve tempo para olés (algo inédito esta época para os lados de Alvalade) e para a confirmação de outra grande noite:

Djaló marcou o primeiro e não parou um minuto. Muito rápido (como sempre), mas hoje altamente objectivo e eficaz, do primeiro ao último minuto.

O Sporting utilizou o balanço da vitória na Liga Europa para colocar o Porto mais longe da rota do título.

Jesualdo sai de Alvalade com um resultado que tem tanto de inesperado como de justo. A escolha de Tomás Costa para o onze traiu o técnico portista, já que o argentino nunca acertou com os companheiros.

Ruben Micael, que nunca tinha perdido com a camisola azul e branca, passou ao lado do jogo num estádio em que tinha sido aplaudido no último jogo em que aí estivera presente ,ainda pelo Nacional.

Mariano, que tinha enchido o olho aquando da goleada ao Sporting no Dragão, para a Taça de Portugal, teve pela frente um “grande” Grimi e poucas vezes a bola passou pelos seus pés.

Para a equipa do FC Porto, a revalidação fica agora bem mais difícil. O Benfica está a 9 pontos e o Braga a 8. E faltam apenas 9 jornadas para o fim do campeonato.

Será agora uma luta a dois?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.