Leonardo Jardim recordou a sua passagem pelo Sporting em 2013/2014, explicando não foi o salário que o levou para Alavalde, mas sim o desejo de comandar a equipa.

"Fui para o Sporting porque queria mesmo treinar o Sporting, não foi por salários. Não havia sequer dinheiro para contratações, os nossos reforços foram o Slimani, que vinha da Argélia, e o Montero, que fomos buscar aos EUA. Tivemos de ir a estes mercados para reforçar a equipa porque não havia recursos", disse, em entrevista ao jornal Expresso.

Considerando que, nessa altura, Bruno de Carvalho, ex-presidente do clube, fez uma boa gestão, Jardim recorda uma equipa com "muita ambição, miúdos novos que queriam ganhar, jogar, muitos nunca tinham tido a oportunidade de serem titulares"

"Foi um ano engraçado, desportivamente correu bem e em termos de trabalho criámos uma excelente dinâmica", acrescentou, antes de afirmar que o dérbi na Luz, em fevereiro de 2014, adiado devido aos danos na pala do estádio, foi decisivo nas contas do campeonato.

"Perdemos o campeonato, penso, naquele jogo da Luz quando o vento deitou parte da pala abaixo. O jogo é adiado para o dia seguinte. Em termos estratégicos, íamos apostar em dois avançados para esse jogo e no dia seguinte a surpresa já não funcionou da mesma forma. (...) Se esse jogo tem caído para o nosso lado, podíamos ter sido campeões", disse.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.