Luís Filipe Vieira aproveitou a apresentação da sua lista às eleições para a presidência do Benfica para atacar os rivais.

Os adversários têm insistido muito no futuro do clube mas Vieira defende que nenhum deles está preparado para o que aí vem.

"Não basta invocar o futuro como argumento eleitoral. O futuro não é o que se promete, mas sim o que se conquista. O futuro não se alcança com tiradas demagógicas ou títulos de jornais. Tenho a credibilidade do trabalho feito no passado para poder garantir o futuro, enquanto outros, que hoje prometem o futuro, não estiveram no passado. Essa é a diferença entre os que prometem e os que já provaram que fazem", disse ao atual presidente do clube, antes de deixar mais reparos aos rivais.

"Fazer promessas em 2020 é fácil, mas não vi essa energia, nem essa disponibilidade – em nenhum dos que hoje se propõem liderar o Clube – em 2003, 2006 ou 2009. Não os vi avançar quando o Benfica atravessou um dos seus períodos mais críticos. E não venham dizer que estiveram apenas porque aparecem numa fotografia. 'Vender' o futuro quando não se tem responsabilidades é fácil; assumir a crítica como rotina diária não é apresentar-se como alternativa, é apenas uma irresponsabilidade", criticou.

Luís Filipe Vieira foi o primeiro candidato a formalizar a candidatura para a presidência do Benfica, antes de Noronha Lopes.

Além do atual presidente, Luís Filipe Vieira, e de Noronha Lopes, concorrem ao escrutínio Rui Gomes da Silva e Bruno Costa Carvalho.

As listas aos órgãos sociais devem ser entregues ao presidente da Mesa da Assembleia-Geral até 20 de outubro, estando as eleições marcadas para 30 do mesmo mês.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.