O Benfica recebeu e venceu o Rio Ave por 2-0, em jogo da 15.ª jornada da I Liga de futebol, recuperando os quatro pontos de vantagem para o segundo classificado da prova, o FC Porto.

Dois golos anotados na primeira parte, pelo grego Mitroglou, aos 13 minutos, e por Pizzi, aos 42, foram suficientes para a equipa de Rui Vitória somar mais três pontos na presente edição da Liga portuguesa.

"O que fez a diferença foi a eficácia do Benfica. A partir dos 15 minutos começámos a controlar o jogo e tivemos uma fase muito boa; depois, na segunda parte, faltou o golo. Tivemos duas ocasiões que podiam ter virado o jogo. Não conseguimos chegar ao golo. Neste tipo de jogos as situações não se avolumam muito, pelo que é preciso aproveitar. A eficácia do Benfica foi tremenda. Um dos golos é já em cima do intervalo, o que condiciona muito", afirmou Luís Castro em conferência de imprensa após o jogo com o Benfica.

Questionado sobre o final das série de vitórias do Rio Ave, Luís Castro garantiu que não está preocupado com isso.

"Vai ser um Rio Ave que vai querer sempre ganhar o jogo que lhe aparece pela frente. Vamos sempre a jogo para jogar bem e, se possível, ganhar. Sabíamos que vínhamos de uma série boa de resultados, mas que isso já era passado e que este jogo tinha caraterísticas diferentes dos outros. Os calendários são para cumprir, mas é diferente abordar um jogo destes em que o lado estratégico tem de ser muito trabalhado e nós temos dois dias apenas para trabalhar. Não justifica o que aconteceu, porque o Benfica venceu com justiça", frisou Luís Castro.

"Os jogos estão interligados em termos de gestão e isolados em termos de ideia. Embora sabendo que o Benfica está num ciclo mais ativo do que nós, jogando sempre quarta e domingo, não é a mesma coisa de uma equipa para a outra. O Benfica é superior ao Rio Ave, então nós temos de abordar o jogo de forma diferente do que se fosse contra um adversário do nosso nível. Não era impossível vencer aqui, mas ficou muito mais difícil por estas condicionantes", acrescentou Luís Castro sobre o tempo de recuperação entre jogos.

Em relação à expulsão de Pizzi já no período de compensação, Luís Castro fez um curto comentário.

"Só o Benfica pode justificar a expulsão do Pizzi. Acho que se deve ser inteligente na gestão de tudo da equipa. Ponto. Faz parte da estratégia do jogo. As pessoas devem fazer o melhor para as suas equipas e se o Benfica entendeu que o melhor era a expulsão do Pizzi, então acho bem. Não tenho nada a dizer."

Com esta vitória, o Benfica chega aos 38 pontos e volta a alargar para quatro a sua vantagem sobre o FC Porto, segundo classificado, enquanto o Rio Ave ocupa para já a sexta posição com 23 pontos, tendo somado a primeira derrota desde que Luís Castro assumiu o comando da equipa, depois de quatro vitórias consecutivas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.