O FC Porto ascendeu hoje à liderança da I Liga portuguesa de futebol, embora em igualdade pontual com o Sporting, ao vencer por 3-0 na receção ao Desportivo de Chaves, em encontro da quinta jornada.

O camaronês Aboubakar, aos 49 minutos, o brasileiro Soares, aos 86, na recarga a um penálti que falhou, e o maliano Marega, aos 88, apontaram os tentos dos portistas, que somaram o quinto triunfo em outros tantos jogos.

No final do jogo, Luís Castro não escondeu a sua insatisfação pelo resultado obtido pelo Desportivo de Chaves, e considerou que a sua equipa poderia ter pontuado no Dragão.

"Saio com sentimento de que poderíamos ir a pontos e sair com 3-0 é muito pesado. Tivemos uma oportunidade aos 70' e outra aos 80' com 1-0. Depois de termos arriscado tudo e de a equipa ter respondido de forma positiva, é com a amargura que saímos do jogo", começou por dizer Luís Castro à Sport TV.

"Sai-se com o sentimento de que foi uma oportunidade perdida como outras que têm acontecido no campeonato. Mas o futebol é o que é", frisou o técnico dos flavienses.

Em relação à estratégia preparada para o jogo, o técnico do Desportivo de Chaves assumiu que o objetivo da sua equipa era de fechar o corredor central ao adversário.

"Sabíamos que o FC Porto ia tentar entrar forte no jogo e que ia tentar fazer golo nos primeiros minutos. A estratégia foi fechar o corredor central e inviabilizar cruzamentos. Ao intervalo sentimos que estávamos com segurança defensiva e que podíamos ir um pouco mais além no jogo. Confirmou-se, mas deparámo-nos com uma equipa que está muito bem e quando se defronta uma equipa como a nossa as fatalidades acontecem. Depois das oportunidades do William e do Galvão, o FC Porto acaba por marcar mais dois golos", disse Luís Castro.

Questionado sobre as exibições dos reforços Maras e Djavan, o técnico do Desportivo de Chaves ficou satisfeito.

"O Djavan quebrou muito perto do fim e pediu a substituição. Não conseguiu fazer o jogo todo, mas fiquei satisfeito com ele. Com o Maras também. São dois jogadores que acrescentam à equipa, mas a equipa destacou-se no geral", afirmou Luís Castro antes de fazer o lançamento do próximo jogo com o Moreirense.

"Temos de encarar o próximo jogo como uma oportunidade de fazer pontos, respeitando muito o Moreirense e esperar que a equipa produza o que produziu aqui, mas que consiga fazer pontos e golos. Só vacilámos nos últimos cinco minutos do jogo, fruto do segundo golo do FC Porto, quando sentimos que o jogo nos tinha fugido. Aí houve um quebrar natural de uma equipa que não está bem na tabela", sentenciou.

Na classificação, os ‘dragões’ somam os mesmos 15 pontos do Sporting - e mais dois do que o tetracampeão Benfica -, mas têm melhor diferença de golos (12-0 contra 13-3).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.