A visita do promovido Rio Ave ao Sporting, no sábado, em encontro da segunda jornada da I Liga de futebol, deve ser encarada numa lógica de evolução gradual dos vila-condenses, reconheceu hoje o treinador Luís Freire.

“Há sempre três resultados no futebol. Vamos para este jogo como para qualquer outro, sabendo que o Sporting é uma das melhores equipas da prova e candidata ao título. Da nossa parte, estamos numa etapa de sair da II Liga e começar a aumentar o nível na I Liga. Este jogo vem nessa perspetiva de nos compararmos com os melhores e querer ao máximo que a equipa seja já competitiva", notou o técnico, em conferência de imprensa.

O campeão da edição 2021/22 da II Liga almeja “ser mais agressivo em alguns aspetos” face à derrota caseira sofrida na estreia com o Vizela (0-1), que antecede embates nas oito jornadas seguintes frente aos cinco primeiros classificados do campeonato anterior.

“Estivemos muito bem durante quase 60 minutos com o Vizela, mas caímos um pouco e deixámos partir o jogo para coisas que não queríamos. Queremos continuar a crescer e que as pessoas vejam que há um Rio Ave com capacidade para condicionar o Sporting e jogar a espaços e que é competitivo até ao fim. Se levarmos pontos, melhor”, afiançou.

Detetando “semelhanças nas dinâmicas ofensivas e defensivas” das duas equipas, Luís Freire acredita que o ciclo exigente vindouro “vai ter de fazer crescer mais rápido” o Rio Ave, que “tem muito para caminhar”, mas deseja “rapidamente estar à altura da I Liga”.

“É motivante na perspetiva de que vamos saber a diferença existente. Não tem sido fácil para os clubes de média e pequena dimensão baterem-se com os ‘grandes’. Vimos os resultados do Marítimo com o FC Porto [foi goleado por 5-1] e do Arouca na Luz [perdeu por 4-0 com o Benfica]. Sabemos que é sempre muito difícil contrariar isso, bem mais no início da época, porque os ‘grandes’ já têm o plantel muito estruturado, enquanto estas equipas ainda estão à procura das melhores soluções até ao final do mercado”, estimou.

O treinador ambiciona ter um grupo “unido na adversidade e a praticar o seu jogo sempre que possível”, visando acercar-se em 2022/23 do estatuto logrado pelo Rio Ave em anos recentes, como frisam duas vitórias e um empate nas derradeiras três visitas a Alvalade.

“O Sporting vem num processo de três anos com o Rúben Amorim, que já fez um grande trabalho e tem uma equipa muito rotinada. Empate 3-3 em Braga? Acredito que o início é apenas o início. Ninguém tenha ilusões. O Sporting, tal como nós, tem coisas que já faz muito bem e em que é muito perigoso e outras em que vai ter de crescer como todas as equipas. Além do valor coletivo, e por muito que possa ter um ponto menos forte aqui ou acolá, a individualidade pode ajudar a qualquer momento a resolver muita coisa”, avisou.

Expulso no embate diante do Vizela, por ter saído “deliberadamente da área técnica para protestar com o árbitro assistente”, de acordo com o relatório do árbitro Gustavo Correia, Luís Freire foi suspenso por um jogo e vai ser rendido no banco pelo adjunto Nuno Silva.

“O treinador mais indisciplinado da I Liga sou eu [risos]. Tenho um histórico que não vai por aí e basta perceberem o meu trajeto. Disse na altura que foi uma expulsão um pouco excessiva, mas não quer dizer que não tenha de olhar para mim. Estou lá para cumprir o castigo e irei tentar ajudar ao máximo dentro destas limitações. A minha equipa técnica já trabalha comigo há 10 anos, sabe o que pretendo e está à altura do desafio”, assegurou.

Reiterando que o avançado Pedro Mendes, que sobressaiu por empréstimo do Sporting em 2021/22, “é um nome” nas hipóteses de mercado do Rio Ave, mas “depende de muita coisa”, o treinador apreciou a recente aquisição do extremo luso-cabo-verdiano Hernâni.

“Está com muita vontade de ajudar, mas ainda está fora da sua forma normal e vai ter de passar por um processo de duas/três semanas [de integração]. Sabe o que tem de fazer neste período. Além da experiência, mantém as qualidades que conhecem: muito rápido, bom tecnicamente, pode jogar por dentro e por fora e tem capacidade de desequilíbrio no um para um. Não tínhamos um esquerdino que conseguisse jogar a extremo”, destacou.

O Rio Ave, 12.º colocado, ainda sem pontos conquistados, visita o Sporting, oitavo, com um, no sábado, às 20:30, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, em encontro da segunda jornada da I Liga, com arbitragem de Manuel Mota, da Associação de Futebol de Braga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.