O antigo presidente do Sporting, Jorge Gonçalves, gostaria de ver a auditoria de gestão do clube anunciada por Bruno de Carvalho estendida até 1988, ano em que assumiu a presidência do emblema de Alvalade, e que englobaria assim os dois mandatos de Sousa Cintra.

Em declarações ao diário Record, o antigo presidente leonino pediu mais rigor na auditoria de gestão do clube e desafiou Bruno de Carvalho a estender a auditoria até 1988.

«Eu adorava ser auditado, pois, como demonstrou a auditoria anterior, depois de ter sido vilipendiado pelo Sporting durante muitos anos na praça pública, sou credor do clube em mais de 2 milhões de euros», começou por dizer.

«O mandato de Sousa Cintra foi um fartar de vilanagem, Tudo aquilo que ele fez foi servir-se do clube», acusou Jorge Gonçalves, revelando ainda que que tem documentos que comprovam a gestão danosa do seu sucessor em Alvalade.

«Como é que se branqueia uma gestão como a de Sousa Cintra? Exijo que se faça uma auditoria à minha gestão e a todas as outras que se seguiram, pois, se todos os presidentes pagarem o passivo que deixaram no clube, o Sporting fica sem dívidas. Fiz esta proposta numa assembleia geral, porque entendo que tem de ir-se até ao fim, para que a ferida não continue aberta», sentenciou o antigo presidente do Sporting.

Confrontado com as declarações de Jorge Gonçalves, Sousa Cintra mostrou-se tranquilo em relação à sua passagem por Alvalade e concordou com o seu antecessor em relação a estender a auditoria de gestão até 1988.

«Acho bem, porque as coisas têm de ser claras, para que não restem dívidas. Quem não deve não teme», frisou Sousa Cintra ao referido diário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.