O presidente do Sporting, Frederico Varandas, foi hoje o alvo de uma manifestação que juntou cerca de 3.000 adeptos junto do Estádio José Alvalade e que foi organizada pela claque Juventude Leonina.

Munidos de cartazes com as mensagens “Varandas Out” ou “Varandas, pede a demissão”, milhares de adeptos exigiram a saída do atual presidente do clube, naquela que foi a segunda concentração no espaço de um mês – a anterior foi em 09 de fevereiro, antes do jogo com o Portimonense – a registar uma adesão significativa.

Sem registo de episódios de violência, a concentração contou também com uma vigilância apertada da PSP, que mobilizou várias dezenas de agentes. Apesar do controlo efetuado, a grande quantidade de pessoas que se reuniu diante do pavilhão multidesportivo de Alvalade acabou por levar as autoridades a cortar um dos sentidos da rua Professor Fernando da Fonseca, desviando assim o trânsito daquela zona durante quase uma hora.

Inicialmente, o contingente de adeptos não ultrapassaria as 2.000 pessoas e estava distribuído por dois grupos: um sob a égide da claque, mais ruidoso e concentrado junto do multidesportivo, enquanto outro, menos numeroso e mais comedido, assistia do outro lado da estrada, protestando de forma tímida contra Frederico Varandas.

Cerca de 20 minutos depois, um segundo contingente juntou-se à manifestação, elevando a contestação a perto de 3.000 vozes.

O protesto “Pelo futuro do Sporting! Sporting Sempre!” apelou ainda à realização de eleições livres e “sem excluídos”, tendo durado cerca de uma hora. A manifestação antecedeu a partida desta tarde entre os ‘leões’ e o Desportivo das Aves, para a 24.ª jornada da I Liga, que marca a estreia do quarto treinador da equipa esta época: Rúben Amorim.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.