O árbitro internacional Marco Ferreira vai manter as insígnias da FIFA até dezembro, mesmo tendo sido despromovido ao segundo escalão nacional, disse hoje à agência Lusa fonte do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

O juiz madeirense não poderá constar na lista de árbitros internacionais proposta pela FPF à FIFA no final do ano, por ter ficado em 23.º e último lugar da classificação de árbitros, divulgada na quarta-feira pelo CA da FPF, um ano depois de ter sido o segundo classificado, atrás do lisboeta Pedro Proença, que abandonou a atividade em janeiro.

Aliás, segundo a mesma fonte do CA, foi a classificação do ano anterior que lhe valeu a nomeação para a final da Taça de Portugal, entre Sporting e Sporting de Braga.

Os dois critérios de nomeação para as finais da Taça de Portugal e da Liga prendem-se com as classificações da época anterior, sendo também privilegiado o facto de o árbitro em causa nunca ter dirigido estes encontros decisivos, acrescentou a fonte.

Assim, e perante o abandono de Pedro Proença, Marco Ferreira surgia como o árbitro melhor classificado para a final da Taça de Portugal, uma nomeação que se seguiu à do albicastrense Carlos Xistra, terceiro em 2013/14, para a final da Taça da Liga.

Na quarta-feira, uma fonte próxima de Marco Ferreira disse à Lusa que o madeirense pondera abandonar a arbitragem se lhe forem retiradas as insígnias da FIFA.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.