O guarda-redes Matheus recusou hoje a ideia de que a visita a Alvalade para defrontar o Sporting, quarta-feira, na 18.ª jornada da I Liga de futebol, seja uma vingança da goleada sofrida na Taça da Liga.

Há cerca de um mês e meio, os bracarenses saíram então vergados a uma pesada derrota por 5-0, nos quartos de final da Taça da Liga.

“Vingança dessa derrota? Não. Vamos encarar o jogo com o Sporting olhos nos olhos. Temos os nossos objetivos e esperamos conquistá-los”, disse o guarda-redes à entrada da Gala Legião de Ouro.

Confrontado com uma eventual candidatura ao título – os minhotos são segundo classificados -, Matheus frisou que os jogadores pensam “jogo a jogo”.

“Não adianta pensar em final de maio se ainda nem passámos fevereiro. O próximo objetivo é o Sporting e esperamos conseguir um bom resultado em Alvalade”, frisou.

Já Castro, sobre a melhor primeira volta da história do clube, considerou que o Sporting de Braga “entra em todos os jogos para ganhar”.

“Fomos uma equipa de ataque, positiva e estamos a fazer uma excelente época. Esperamos continuar assim na segunda volta. Título? Não, agora é tentar ganhar o próximo jogo. Faltam tantos jogos. Estamos bem, em segundo lugar, e agora é tentar ganhar o maior número de jogos”, disse.

Sobre os mais recentes reforços, o lateral direito Joe Mendes, o extremo Bruma e o médio Pizzi, Castro disse que “podem acrescentar muito, principalmente o Bruma e o Pizzi, pois para esses dois será mais fácil a adaptação porque conhecem o campeonato português”, destacando a sua experiência “que também é importante em determinados jogos”.

O experiente médio, que está em final de contrato e assumiu a vontade de continuar no clube bracarense, desejou que Vitinha, muito cobiçado, não saia do Sporting de Braga, e pediu “humildade para reconhecer que do outro lado há equipas com qualidade: já nos conhecem, vão jogar mais fechadas e estão a reforçar-se bem”, disse.

André Horta entrou para a cerimónia ao lado de Pizzi, com quem jogou no Benfica, e realçou o “entendimento muito bom fora do campo” com o internacional português ex-Al Wahda.

“Dentro de campo, há muito tempo que não estamos juntos, mas espero que seja mais um bom entendimento para ajudar a equipa, porque isso é o mais importante”, disse.

Questionado sobre se são reforços para segurar o segundo lugar ou atacar o primeiro, respondeu: “São reforços para ajudar a equipa. Temos objetivos muito bem definidos e não nos desviamos do nosso caminho. Já temos uma equipa que é muito forte, com muita qualidade. São reforços que nós aprovamos e sabemos que podem vir a acrescentar algo”.

Sobre as críticas de alguns adeptos ‘arsenalistas’ à vinda de Pizzi, André Horta defendeu que os jogadores “não ligam a isso”, mas que estão “sujeitos à critica”.

“Está a passar por algo que também já passei quando cheguei ao Sporting de Braga e estou aqui, estou vivo. O Pizzi tem 33 anos, demasiados golos, demasiados títulos e demasiados jogos para ligar a isso. Vai ajudar certamente. Está muito motivado, nós falamos muitas vezes, já o fazíamos antes de ele vir, vê os nossos jogos, está identificado connosco e o plantel aprova todos os jogadores que venham para acrescentar qualidade”, concluiu, antes de garantir um Sporting de Braga a ir a Alvalade para tentar vencer.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.