O treinador Rui Vitória não dá Maxi Pereira como perdido, contudo mostra-se algo constrangido pelo tempo que o jogador demora em responder à proposta encarnada, após oito anos de ligação ao clube.

“Sei que ainda não respondeu à proposta e não quero dizer muito mais. Sempre pensei, sinceramente, que os oito anos teriam impacto na decisão. É a vida. O Benfica é grande de mais e se ele não vier teremos soluções para estar a competir ao mais alto nível. Se ficar, é um dos nossos. Se não ficar, deixa de ser problema nosso”, frisou numa entrevista ao jornal Record.

Sobre a possível saída de Gaitán, Rui Vitória não dá nada como certo e diz que o jogador está a trabalhar bem.

“Estou a par do que se vai dizendo, mas daí até ser garantida a sua saída ainda vai alguma distância. Enquanto cá estiver...é nosso jogador e conto com ele. E, já agora, deixe-me dizer que o Gaitán está a trabalhar de uma forma brilhante”, adiantou.

Sobre os reforços, Rui Vitória reconhece “não haver nomes sonantes”, mas contrapóe com o potencial de quem chega, e lembra que jogadores que chegaram mesmo sobre o fim do mercado de transferências acabaram por ajudar muito o clube.

“Pode não haver nomes sonantes, mas há muito potencial para desenvolver e é a isso que nos vamos agarrar. Olhamos para isto com calma, porque o Benfica é um exemplo claro disto. O Jonas e o Júlio César chegaram tarde, o Witsel saiu já em setembro, o Javi Garcia também. Os treinadores ficam na expectativa e, enquanto isso acontece e não acontece, vamos trabalhando”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.