Nenhum dos 13 jogadores da União de Leiria que apresentaram a rescisão coletiva do contrato de trabalho cedeu, até esta quinta-feira, ao ultimato do presidente da SAD, que ameaçou extinguir a equipa caso não regressem ao trabalho.

No segundo treino da semana dos leirienses, José Dominguez orientou os mesmos 16 atletas que quarta-feira começaram a preparar o jogo de sábado com o Benfica, para a 29.ª jornada da Liga de futebol.

A sessão no Estádio Municipal da Marinha Grande decorreu sem novidades nem sinal dos 13 jogadores que sexta-feira rescindiram coletivamente, devido a existirem três e quatro meses - conforme os casos - de ordenados em atraso.

Na quarta-feira, o líder da SAD garantiu que, «se até sexta-feira às 19h00, os atletas que rescindiram não voltarem», o clube desiste do campeonato, garantindo que esta decisão «é irreversível».

Segundo João Bartolomeu, a decisão foi tomada pela maioria dos acionistas e visa «tentar ao máximo que o campeonato não seja adulterado, como já está».

«Temos muita pena, mas o que desejamos é que os atletas regressem para estarmos presentes no Estádio da Luz», referiu.

Hoje, no treino, ninguém falou oficialmente no assunto.

José Dominguez continua a preparar o próximo jogo, com o Benfica, apenas com 16 jogadores. Além dos seniores Oblak, Copetti, Barkroth, Shaffer, Djaniny, Ogu, Alhafith e Keita, também os juniores Pedro Almeida, Filipe Oliveira, Miguel Rodrigues, Luís Oliveira, Miguel Batista, Carlos Daniel e Dany continuam a trabalhar com a equipa.

O guarda-redes Gottardi, a recuperar de lesão, continua a fazer corrida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.