O Moreirense vai recorrer para o Tribunal Constitucional de uma decisão do Tribunal da Relação do Porto conhecida hoje que o condena ao pagamento de uma multa de 112.500 euros, num processo de corrupção desportiva.

"O clube vai recorrer para o Tribunal Constitucional. O clube é alheio a qualquer ação de corrupção, que, a ter ocorrido, condena com toda a veemência", disse, à agência Lusa, o advogado Ricardo Sá Fernandes, que representa o Moreirense neste caso.

O Tribunal da Relação do Porto confirmou a condenação do Moreirense, atual 11.º classificado da I Liga portuguesa em futebol, ao pagamento de uma multa de 112.500 euros, num processo de corrupção desportiva em que foram condenados outros cinco arguidos, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

A agência Lusa contactou o presidente da formação de Moreira de Cónegos, que remeteu para o advogado que representa o Moreirense.

"Esta decisão, mesmo transitada em julgado, não afeta o Moreirense SAD que participa na I Liga", garantiu, ainda, Ricardo Sá Fernandes.

Numa nota publicada na sua página oficial na Internet, a PGD do Porto refere que a Relação manteve "na íntegra" a condenação dos arguidos e "nos precisos termos" que havia sido decidido na primeira instância.

Em setembro de 2018, o Tribunal da Feira condenou o Moreirense na pena única de 450 dias de multa à taxa diária de 250 euros, perfazendo o montante global de 112.500 euros, por quatro crimes de corrupção ativa no fenómeno desportivo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.