O Moreirense venceu o FC Porto por 3-1 e conseguiu a manutenção na I Liga. Os ´dragões`, sem nada a perder, averbaram a segunda derrota na prova e despediram-se da Liga da pior forma, num jogo em que a defesa falhou. Boateng, com um golo e duas assistências, foi a figura dos Cónegos. Maciel e Alex fizeram os outros tentos. Maxi, com um golaço, descontou para o FC Porto que acaba a época com o segundo melhor ataque e a segunda melhor defesa.

O jogo era de tudo ou nada para o Moreirense e de cumprimento de calendário para o FC Porto. Os Cónegos precisavam de vencer para garantir a manutenção ou, fazer o mesmo resultado que o Tondela, que a mesma hora defrontava o SC Braga na Pedreira. No Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, quase lotado, Nuno deu a titularidade a José Sá, que assim entrou no onze do FC Porto para a Liga, algo que não acontecia desde dezembro de 2015.

Mesmo com pouco ou nada em jogo, Nuno escolheu o melhor onze para este desafio, mas em campo a resposta não foi a desejada, principalmente na primeira parte. Aproveitou o Moreirense que se agigantou e foi à procura da salvação. Sempre numa toada de contra-ataque, com muitos jogadores perto da sua área, a turma de Petit marcou na primeira grande oportunidade. Aos 16 minutos, um centro largo de Reboucho encontrou Boateng na área. O avançado ganhou as costas a Alex Telles e cabeceou para o 1-0.

Por esta altura era o FC Porto quem dominava, mas sem muita vontade em ganhar o jogo, tal era a forma descomprimida com que os homens de Nuno abordavam os lances, principalmente na frente. Herrera entrou bem e tentou levar a equipa para a frente, mas Soares e Otávio estavam simplesmente noutra dimensão, muito desligados do jogo, principalmente o médio. Também Brahimi, muito agarrado à bola, travava o jogo do FC Porto e ajudava na organização defensiva do Moreirense.

O Moreirense, que não arriscava nada, tentava sair em contra-ataque sempre que podia. E voltou a ser feliz aos 37 minutos por Frederic Maciel, ex-FC Porto. O lance nasce de um passe espetacular de Boateng que aproveita uma falha da zona defensiva do FC Porto para isolar o extremo. Maciel recebeu e rematou colocando, batendo José Sá pela segunda vez.

Antes do 2-0 do Moreirense, um momento insólito no Parque Desportivo Comendador Joaquim de Almeida Freitas. Ao minuto 36, um drone sobrevoou os céus com um a tarja vermelha com o número 36. Provavelmente, uma provocação de um adepto do Benfica, em alusão ao 36.º título de campeão dos ´encarnados`, ganho na semana passada.

Depois de uma primeira parte pobre, uma de muitas esta época, Nuno mexeu logo no regresso dos balneários, colocando André Silva e Corona em campo, nos lugares de Herrera e Otávio, passando assim para o 4-4-2 na tentativa de evitar a derrota. Makaridze evitou o golo de Soares aos 50, mas aos 61 chegou o tento do FC Porto por Maxi Pereira, que fez o segundo golo na Liga. O centro é de Corona e o lateral uruguaio desvia com a ponta da bola, de costas para a baliza, num gesto espetacular. Um golaço.

Nuno retirou o apagado Soares e lançou o jovem Rui Pedro, passando a dupla de avançados a ser formado por dois jovens formados no FC Porto. A equipa continuava a pressionar, na tentativa de chegar ao empate. Mas era preciso estar atento ao Moreirense como mostrou José Sá aos 71, num livre direto. Mas os comandados de Petit chegaram ao 3-1 aos 83 minutos, em novo lance de contra-ataque onde a defensiva azul-e-branca falhou por completo. Felipe abordou mal um lance com Boateng que entrou na área e colocou no esquerdino Alex que rematou de pé direito para o 3-1. Explosão de alegria em Moreira de Cónegos.

Até ao final, o FC Porto tentou reduzir, mas o Moreirense, mesmo com vários jogadores em dificuldade física, aguentou o resultado e a vitória histórica. Os adeptos do FC Porto abandonaram o estádio antes do apito final, agastados com a performance da equipa, que assim despede da Liga com uma derrota, a segunda (tinha perdido com o Sporting), depois de ter falhado o objetivo de ser campeão.

Petit, que na época passada salvou o Tondela da descida, consegue manter o Moreirense entre os grandes do futebol português. O Tondela, que também venceu na receção ao Braga, conseguiu evitar a despromoção. Já o Arouca, que entrou para a derradeira jornada em melhor posição, perdeu com o Estoril e foi despromovido à II Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.