Moretto esteve com um ´pé e meio` no FC Porto mas, à última da hora, ´roeu a corda` e assinou pelo rival Benfica. Em entrevista ao jornal ´Diário de Notícias`, o brasileiro conta como tudo aconteceu.

"Assinei um pré-contrato com o FC Porto, que tinha ficado de acertar a transferência com o V. Setúbal. No entanto, a partir do momento em que apareceu o Benfica eu tomei a minha decisão e nunca me arrependi dela", começou por dizer.

O antigo guarda-redes do Vitória de Setúbal recordou o episódio da sua chegada ao Benfica, com muita confusão pelo meio.

“ [Eu e Luís Filipe Vieira] passámos o ano de 2005 para o de 2006 juntos no avião quando fazíamos a viagem de São Paulo para Lisboa. Ele foi buscar-me. Depois aconteceu aquele episódio triste no aeroporto, com a troca de insultos [envolveram Vítor Dinis, um conhecido de Moretto que pretendia levá-lo para o FC Porto e os seguranças do Benfica]... foi algo que acabou por me prejudicar no clube, sobretudo na adaptação e na relação com os adeptos", comentou.

No Benfica, Moretto passou de amado a odiado, principalmente depois de exibições menos convincentes. O guarda-redes conta que ficou triste na altura mas que não guarda mágoa de ninguém.

"Senti um pouco essa pressão porque os adeptos do Benfica dividiram-se em relação a mim. Uns apoiavam-me e outros assobiavam-me. E isso para mim foi muito triste. De qualquer forma, não guardo qualquer mágoa de ninguém. Adorei ter representado o clube", frisou.

Além do Benfica e do Vitória de Setúbal, Moretto representou ainda o Felgueiras e o Olhanense. Agora, com 38 anos, defende as redes da Associação Atlética Portuguesa, do Rio de Janeiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.