O funeral sai sábado às 10:00 horas do Hospital Garcia da Horta para o cemitério do Feijó.

Aníbal de Oliveira foi guarda-redes do extinto União Lisboa, no Clube de Futebol Benfica e no Belenenses, entre as épocas de 1937/37 e 1953/54, e, posteriormente, foi árbitro de futebol entre 1957/58 e 1969/70, atingindo a internacionalização em 1964/65.

Vítor Hugo Oliveira, filho do antigo desportista, disse que o pai conquistou o troféu Cândido dos Reis em 1964 e ganhou os apitos de ouro para o melhor árbitro da época, patrocinado pelo jornal A Bola (1963/64) e Record (1965/66).

Acrescentou que foi o único árbitro português a dirigir uma final do campeonato do Mundo, no seu caso de juniores, numa final realizada em 1969/70, em Leipzig (Alemanha).

Vítor Oliveira precisou que o pai arbitrou 189 jogos, 32 dos quais internacionais, e concluiu a sua carreira a dirigir um jogo entre o Desportivo, de Espanha, e o Nacional de Montevideu, do Uruguai, para o Troféu Teresa Herrera.

Aníbal de Oliveira foi também director do departamento de futebol do Belenenses de 1971/72 até 1973/74.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.