O movimento 'Servir o Benfica' emitiu na manhã desta terça-feira um comunicado a demonstrar a sua indignação em relação aos "erros com recurso à tecnologia".

O grupo de adeptos reuniu alguns lances em que o Benfica no seu entender foi prejudicado e alerta a direção encarnada liderada por Rui Costa.

"Irá o Benfica propor ao Conselho de Arbitragem, à semelhança de algumas das suas congéneres europeias, castigar os árbitros / VAR", começa por ler-se. "Continuamos a assistir ao degradar da integridade da competição", prossegue-se.

O grupo enumera exemplos em que o Benfica foi prejudicado pelas arbitragens, e que os rivais foram beneficiados. "duas grandes penalidades por assinalar" no dérbi frente ao Sporting "uma grande penalidade por assinalar e uma expulsão perdoada a atleta do FC Porto", frente ao Famalicão, e "uma expulsão perdoada ao atleta Marcelo por entrada violenta que colocou em causa a integridade física" de Kokçu, na partida entre o Moreireinse e o Benfica.

"Os erros fazem parte da decisão humana, mas os erros com recurso a tecnologia não podem ser tolerados. O movimento Servir o Benfica não pode branquear estes erros nem deixar de questionar o silêncio do Sport Lisboa e Benfica perante a Liga Portugal, a Federação Portuguesa de Futebol e Conselho de Arbitragem", pode ler-se.

Veja aqui o comunicado na íntegra

"No passado dia 6 de Setembro emitimos um comunicado com o título 'A Batota não pode ganhar'.

No mesmo estavam expressas as nossas preocupações relacionadas com a salvaguarda da integridade das competições profissionais de futebol e onde elencámos um conjunto de medidas para as garantir.

Passados três meses, e um dia depois em que Domingos Paciência é nomeado diretor técnico da Liga, continuamos a assistir ao degradar da integridade da competição, que nem a divulgação parcial das comunicações entre árbitro e VAR permite escamotear. Três exemplos das últimas duas jornadas:

- Sport Lisboa e Benfica - Sporting CP: duas grandes penalidades por assinalar a favor do Sport Lisboa e Benfica;

- FC Famalicão - FC Porto: uma grande penalidade por assinalar a favor do Famalicão e uma expulsão perdoada a atleta do FC Porto;

- Moreirense FC - Sport Lisboa e Benfica: uma expulsão perdoada ao atleta Marcelo por entrada violenta que colocou em causa a integridade física do atleta do Sport Lisboa e Benfica, Kökçü.

Os erros fazem parte da decisão humana, mas os erros com recurso a tecnologia não podem ser tolerados.

O movimento Servir o Benfica não pode branquear estes erros nem deixar de questionar o silêncio do Sport Lisboa e Benfica perante a Liga Portugal, a Federação Portuguesa de Futebol e Conselho de Arbitragem:

- Qual o motivo para não serem divulgadas todas as comunicações entre árbitro e vídeo árbitro, em contraponto com atual divulgação selectiva em canal desportivo privado? Qual a posição do Benfica perante esta ausência de transparência?

- Irá o Benfica propor ao Conselho de Arbitragem, à semelhança de algumas das suas congéneres europeias, castigar os árbitros / VAR que tenham cometido erros graves de análise, impedindo os mesmos de participarem em jogos nas próximas semanas ou continuará a assobiar para o lado?

Sem prejuízo do acima exposto, as arbitragens não justificam as más exibições da equipa principal de futebol, que têm gerado natural preocupação na família benfiquista. É nossa convicção que a Direção do Sport Lisboa e Benfica, equipa técnica e jogadores estão cientes que é obrigatório fazer muito mais para o nível exibicional ser condizente com os pergaminhos do clube e que só o foco no trabalho diário permitirá que seja uma realidade a honra e glória de vencer o 39.º campeonato e as Taças de Portugal e da Liga em 2024.

O apoio dos associados e adeptos do clube não faltará, como domingo voltou a não faltar em Moreira de Cónegos."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.